Arquivo diários:6 de outubro de 2017

‘Test-drive’ de apartamentos é novidade na hora de comprar imóvel.

A máxima “quem casa quer casa” continua certeira. Mesmo em tempos de crise, jovens casais sonham com um lar – o lugar perfeito para começar uma nova família. Com Bianca Andrade e Carlos Sardinha, não foi diferente. Ela era moradora da Baixada; ele, de Niterói. O trânsito foi uma constante em nove anos de relacionamento. Com casamento marcado para dezembro, eles estão buscando o lugar ideal para começar uma nova fase da vida a dois.

“Procuramos algo que seja perto da faculdade e do trabalho e, principalmente, que caiba no orçamento de um casal jovem como a gente, que está começando a vida adulta agora. Não tem sido fácil” – conta Bianca, de 23 anos.

E eles não são os únicos. No Brasil, cerca de 1,1 milhão de pessoas se casam anualmente, segundo dados do IBGE. Pensando em quem busca um imóvel para chamar de seu, a construtora Gafisa criou o Test Home, uma espécie de test-drive para apartamentos, em que os interessados podem alugar por até um ano o imóvel desejado. Após o período, se se decidirem pela compra, o valor total do aluguel é descontado da entrada.

“A ideia do Test Home surgiu de um anseio do consumidor em conhecer o imóvel e ter certeza da compra. Se eu testo um carro, por que não posso testar o lugar em que vou morar? É inovador alugar o próprio apartamento, e só apostamos na iniciativa porque confiamos muito no nosso produto, nas suas qualidades e no diferencial do empreendimento” – explica Lucas Tarabori, diretor executivo comercial da Gafisa.

O primeiro empreendimento a contar com a proposta é o Today, localizado na Estrada do Bananal, no bairro da Freguesia. Os apartamentos já estão todos prontos para morar, com salas e quartos com piso em porcelanato e ar-condicionado split. O condomínio é composto de duas torres, com sete andares cada, e apartamentos de 2 e 3 quartos, com suítes. As plantas foram projetadas com as chamadas “varandas lounge”, ligadas à cozinha, ideais para quem gosta de receber amigos. O condomínio igualmente já está pronto, com piscina adulto e infantil, brinquedoteca e até forno de pizza.

“Entre os diferenciais da construtora estão a qualidade dos acabamentos e a assinatura de decoração nas áreas comuns. Decidimos entrar com o Test Home justamente na Freguesia, que tem grande oferta de empreendimentos, para mostrar como a qualidade do Today é um diferencial” – completa Lucas.

A iniciativa inovadora do Test Home é uma novidade tanto para os clientes quanto para a própria Gafisa, que estuda ampliar o conceito para outros dos seus empreendimentos. O objetivo é dar aos futuros moradores a oportunidade de tomar uma decisão assertiva na hora da compra do imóvel e, ao mesmo tempo, poder usar o primeiro ano de aluguel como uma espécie de poupança, que será usada na hora da compra do imóvel.

O objetivo da construtora é atrair casais como Bianca e Carlos. Eles e outros jovens casais compartilharam suas histórias na série Papo de Casa Gafisa, uma parceria com a revista “Inesquecível Casamento”, referência no assunto. São entrevistas com casais reais, que estão à procura de um novo lar. A série aborda questões sobre relacionamento, planos, investimentos e outras experiências pessoais. Nos bate-papos, fica clara a impasse comum entre todos os recém-casados: comprar ou alugar o imóvel?

Para Roberta Faria, gestora de marketing da Gafisa, a decisão pode ficar mais fácil com o período de teste proposto pela construtora.

A compra de um imóvel geralmente é a maior e mais relevante aquisição de uma família. A decisão é difícil mesmo, e acreditamos que o Test Home pode ajudar muito nesse processo, modificando a forma tradicional de comprar e vender imóveis. Valorizamos cada nova fase da vida do cliente e damos a chance de que a família só dê o próximo passo caso aprove o imóvel” destaca.

Fonte: O Globo (conteúdo de responsabilidade do anunciante)

Fonte: Boa Informação

Índia também desperta para a construção industrializada.

Cidade planejada utiliza tecnologia alemã e consegue erguer torres residenciais com 15 pavimentos em pouco mais de cem dias.

Cada torre da Bharat City tem suas estruturas montadas em 105 dias

Em 2015, quando nasceu o projeto da Bharat City, a ideia era construir as nove mil unidades habitacionais através do método convencional, ou seja, lajes de concreto dosado em central e paredes erguidas com tijolos cerâmicos. Com o início da obra, localizada na Índia, a 20 quilômetros de Nova Deli, concluiu-se que naquele ritmo o empreendimento poderia levar até sete anos para ficar pronto. Foi quando se decidiu importar a tecnologia alemã de construção pré-fabricada de paredes de concreto. Com a industrialização, em dois anos a primeira fase da smart city está concluída e o canteiro de obras da segunda etapa já começa a ser instalado.

A Bharat City faz parte do programa Housing for All, criado pela Índia para combater o déficit habitacional no país. É um desafio ao governo indiano, que a cada ano vê a população aumentar 1,5 milhão. Por isso a necessidade de investir em tecnologias que permitam construir industrialmente. Outro dilema da construção civil na Índia está relacionado à mão de obra. Pelo menos por seis meses no ano, os trabalhadores abandonam os canteiros de obra para trabalhar na agricultura, em períodos de colheita, principalmente de algodão, arroz e cana-de-açúcar.

Com a industrialização da construção na Bharat City, os empreendedores conseguiram erguer uma torre com 15 pavimentos em 105 dias, usando apenas 100 trabalhadores. Cada prédio usa três mil elementos de concreto pré-fabricado, entre lajes treliçadas, paredes portantes e não-portantes, escadas e varandas. Após a instalação da fábrica para produzir as peças, e o treinamento da mão de obra, a fabricação entrou em um ritmo de produção de 1.500 m2 por dia. “A parceria com fabricantes alemães, que nos emprestaram a tecnologia, permitiu elementos de concreto pré-fabricado com excelente estabilidade dimensional”, diz Kumar Bharat, que está à frente da construção da smart city indiana.

Fábrica para produção dos elementos de concreto, instalada na Índia: tecnologia alemã

Vantagens
Outro obstáculo vencido pela industrialização foi o do clima na região. “Conseguimos produzir independentemente das condições climáticas, geralmente marcadas por sol intenso e chuvas sazonais”, completa Kumar Bharat, que elenca as vantagens do sistema construtivo:
1. A produção em ambiente controlado resulta em elementos de alta qualidade.
2. A redução em série reduz custo.
3. Dispensa o reboco nas paredes, pois o acabamento é perfeito.
4. É possível seguir com a construção em qualquer condição climática.
5. Melhora os padrões de segurança e saúde dos operários.
6. Com planejamento e gerenciamento controlado se obtém alta velocidade na montagem.
7. Emprego de menos mão de obra.
8. Molduras de portas e janelas podem ser instaladas nos painéis da parede antes da montagem.
9. Conduítes e caixas de eletricidade podem ser incorporados nos painéis pré-moldados.
10. Menor número de colunas na área construída.

A tecnologia alemã garante que as torres residenciais da Bharat City tenham vida útil de 100 anos. Acoplado à ferramenta BIM, e adaptada às condições da construção civil indiana, ela tende a se disseminar no país. A própria construtora da Bharat City já se sente estimulada a construir 28 indústrias para produzir elementos pré-fabricados e criar mais smarts cities em toda a Índia.

Veja vídeo sobre a produção de elementos pré-fabricados de concreto para a Bharat City:

Entrevistado
Kumar Bharat, CEO da BCC Infrastructure (via departamento de comunicação)

Contato
sales@bccinfra.com

Crédito Fotos: Weckenmann

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330

Fonte: http://www.cimentoitambe.com.br