Arquivo diários:14 de novembro de 2017

Microapê de 21 m² com soluções práticas para o dia a dia.

Com áreas totalmente integradas e mobiliário personalizado, este microapartamento é destaque do novo empreendimento imobiliário no centro de São Paulo.

(Divulgação/TPA Empreendimentos)

Apartamentos cada vez menores são uma tendência no mundo todo e por aqui não é diferente. Os novos empreendimentos imobiliários que chegam às grandes cidades apostam em metragens mínimas, que dificilmente ultrapassam os 30 metros quadrados. Em fase de construção no centro de São Paulo, o Residence Jacques Pilon, da TPA Empreendimentos, recebeu suítes de 21 metros quadrados.

Microapê de 21 m² com soluções práticas para o dia a dia

(Divulgação/TPA Empreendimentos)

Com projeto de interiores assinado pela arquiteta Paula Guimarães, os microapartamentos ganharam áreas totalmente integradas e funcionais. Por conta da metragem bem enxuta, a sala de estar foi deixada de lado no projeto, priorizando espaço para uma ampla cama onde é possível dormir, relaxar e assistir à TV fixada na parede.

(Divulgação/TPA Empreendimentos)

O aparador feito sob medida para o projeto recebeu múltiplas funções. Além de servir como estante para organizar alguns pertences dos moradores, ele foi estendido até a área da cozinha, atuando também como uma mesa de jantar compacta, mas versátil.

Microapê de 21 m² com soluções práticas para o dia a dia

(Divulgação/TPA Empreendimentos)

Prática, a cozinha estilo corredor ocupa cada centímetro do espaço. A única bancada foi equipada com um cooktop e uma pia, enquanto um armário suspenso garante armazenamento extra, com nichos para abrigar mais utensílios domésticos e manter tudo organizado.

(Divulgação/TPA Empreendimentos)

Fonte: casaclaudia.abril.com.br

Por Rafael Belém

Cenário econômico do Brasil faz mercado imobiliário do interior crescer.

Cenário econômico do Brasil faz mercado imobiliário do interior crescer 

Melhora na economia brasileira alavanca o mercado imobiliário e atrai investidores para o interior.

Tendo em vista as melhoras da economia brasileira, os investidores voltaram a apostar no mercado imobiliário do interior paulista. Com o aumento do nível de emprego e as reduções nos índices de inflação e nas taxas de juros, este ramo promete crescimento para o ano que vem. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP), nos últimos três anos, das mais de 13.700 unidades lançadas pelas construtoras, pouco mais de 8.900 foram vendidas, o que representa uma queda de 18% do volume de estoques de imóveis.

“Os números mostram que o ânimo dos investidores está melhorando e, com isso, o mercado imobiliário está em franca recuperação em todo o Estado. Em uma cidade como Sorocaba (SP), com a proximidade da capital e toda a infraestrutura oferecida, este fenômeno fica ainda mais evidente”, diz o analista de mercado imobiliário Fernando Feller.

Quem pretende investir no setor precisa se atentar a algumas características do imóvel, como tamanho, localização e custos com o financiamento. Isso porque este tipo de investimento é a longo prazo, podendo durar por volta de 15 a 20 anos. Como o investimento comprometerá parte da renda, é preciso analisar os prós e contras para garantir que não haja arrependimentos.

Uma dica interessante para quem busca investir é a compra de imóveis na planta, pois possuem um valor baixo se comparados aos imóveis prontos. De acordo com Ricardo Guimarães, CEO de uma construtora da cidade, a compra de um imóvel na planta pode chegar a custar apenas 40% do valor do imóvel finalizado. “Desta forma, a margem de lucro deste tipo de investimento é altíssima”, ressalta Guimarães.

A compra do imóvel na planta necessita de uma atenção especial: a escolha da construtora. Antes de efetuar a compra, busque informações sobre a empresa, pesquise clientes antigos para saber se houve algum problema durante a obra e se o prazo de entrega dos itens prometidos foram cumpridos. Isso evita futuras surpresas desagradáveis.

Outro ponto importante na hora da compra é a localização. A proximidade com centros comerciais, hospitais, parques e serviços públicos são um diferencial na hora de alugar ou vender o imóvel.

Fonte: https://g1.globo.com