Arquivo diários:3 de julho de 2018

O Impacto da Reforma Trabalhista no Mercado Imobiliário.

Passados pouco mais de 7 meses do advento da reforma trabalhista, a expectativa ainda é de um impacto positivo no mercado imobiliário, diante da flexibilização na negociação de alguns direitos trabalhistas entre empregado e empregador.

A flexibilização traz uma maior segurança ao empresariado, diante das incertezas geradas pela atual conjuntura econômica do Brasil, uma vez que poderão contratar novos empregados com redução dos riscos e com consequente benefício aos trabalhadores, pois certamente implicará no aumento dos postos de trabalho no setor.

À exemplo, podemos citar uma inovação trazida pela reforma trabalhista, que na hipótese de desaquecimento do setor, é possível empregado e empregador negociarem a redução da jornada de trabalho com consequente redução salarial, mas com a manutenção do empregado, até que o setor imobiliário se reestabeleça.

Citamos ainda outros aspectos que podem ser negociados entre empregador e trabalhador, como o banco de horas com período inferior a um ano, fracionamento das férias, redução do intervalo par descanso e refeição, entre outros. Destaco que alguns dos pontos que podem ser negociados é obrigatória a participação do Sindicato representativo da categoria.

A reforma trabalhista trouxe maior segurança às imobiliárias quando da contratação do corretor de imóveis como prestador de serviços autônomos, já que na reforma diz expressamente que a figura do autônomo, desde que observado todos os comandos legais, não se confunde com empregado.

Em contrapartida, o corretor de imóveis autônomo poderá prestar serviços para mais de uma imobiliária, uma vez que a através da medida provisória que ajustou alguns pontos da reforma trabalhista fica vedada a contratação por exclusividade. Poderá também se recusar a realizar algumas demandas requeridas pelo contratante.

 

SOBRE BUENO, MESQUITA E ADVOGADOS

O Bueno, Mesquita e Advogados é um escritório de advocacia especializado nas áreas de agronegócios, empresarial, contencioso e trabalhista. Sediado em São Paulo, o Bueno, Mesquita e Advogados conta com escritórios associados no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, além de correspondentes em diversas cidades do País.

Fonte: https://www.segs.com.br

Wanda? Hisense? Fique por dentro das marcas que aparecem nos estádios da Copa.

Gigantes chinesas, que patrocinam o Mundial da Fifa pela 1ª vez, são desconhecidas do público brasileiro.

Se você assistiu a algum jogo da Copa do Mundo da Rússia deve ter reparado nas marcas que aparecem nos letreiros de publicidade dos gramados. As principais são Wanda, Hisense, Mengniu e Vivo, que apesar de serem desconhecidas do público brasileiro, são grandes gigantes do mercado chinês.

A Wanda é uma sete marcas que são as “parceiras oficiais” da Fifa e da Copa, ou seja, as marcas da “cota master” dos patrocínios, ao lado de Adidas, Coca-Cola, Gazprom (empresa de energia russa), Hyundai, Qatar AirWays e Visa. As outras três estão entre os “patrocinadores oficiais” (uma cota menor) junto com a Budweiser e McDonald’s.

Estas companhias da China aproveitaram o espaço deixando por grandes multinacionais, como a Sony, Johnson & Johnson, Emirates, Castrol e Continental, que deixaram de patrocinar a Copa após os escândalos do futebol que mancharam a imagem da Fifa.

O interesse chinês pelo futebol vem crescendo. O presidente da China, Xi Jinping, já manifestou o desejo do país sediar a Copa de 2030.

 

Wanda Group

O Wanda Group fechou acordo para patrocinar o evento até 2030, ou seja, para a Copa da Rússia e mais três torneios.

O Wanda é um conglomerado com braços em vários segmentos da economia. O grupo é forte na área de entretenimento, produzindo filmes, séries e jogos. É dono das americanas AMC Entertainment, produtora de séries como “The Walking Dead” e dona da maior rede de salas de cinema do mundo– no Brasil, ela tem os cinemas UCI, e da Legendary Entertainment, responsável pelo último “Godzilla” e pelo “Se Beber, não Case”.

Fabrica os iates de luxo Sunseeker e tem negócios culturais na China. Também é um dos líderes no mercado imobiliário chinês, com aposta em prédios corporativos e hotéis cinco estrelas, além de possuir investimentos nas áreas de seguros e microcrédito, entre outros.

Até 2018, o Wanda Group detinha 17% do clube espanhol Atlético de Madri, mas devido ao elevado endividamento, os chineses decidiram vender sua participação. Da parceria, restou apenas seu nome no novo estádio do time, o Wanda Metropolitano.

Hisense

A Hisense desenvolve e fabrica aparelhos da linha branca, como refrigeradores e freezers, e TVs, tanto com a própria marca como outras — nos EUA, as TVs da Sharp são todas fabricadas pela Hisense. Fundada em 1969, ela tem 18 filiais no mundo.
A companhia de eletrônicos já patrocinou a Euro 2016 e o time de futebol FC Schalke 04, da Alemanha.

Mengniu

A Mengniu Dairy (laticínios) é a maior fabricante e distribuidora de laticínios na China e conta com o astro argentino Lionel Messi como garoto propaganda.

Vivo

Apesar de homônima à operadora de internet e telefonia do Brasil, a Vivo não vende pacotes de dados e afins, é fabricante de celulares.

Ela faz parte do grupo BBK, um dos maiores do mundo, e está aproveitando o evento para anunciar o Vivo Nex, um curioso smartphone cuja tela ocupa toda a parte frontal e que esconde a câmera de selfies em um mecanismo que lembra um periscópio.

A Vivo chinesa, que aposta nos clientes de baixa renda chineses, alcançou recentemente o top 5 global em vendas e ultrapassou gigantes conhecidas como LG, ZTE e Lenovo.

Pelo contrato, a fabricante de celulares chinesa se tornou patrocinadora das Copas da Rússia e a do Qatar, em 2022.

Fonte: http://www.destakjornal.com.br

*Com agências