Arquivo diários:17 de julho de 2018

Construtora triplica vendas online de imóveis e reduz gastos em 80% com transformação digital.

O marketing digital é uma ferramenta de extrema importância para o sucesso nas vendas das empresas. Prova disso é a taxa de crescimento acelerada nos investimentos no setor. Segundo dados do IAB Brasil, os gastos nessa área no País foram de R$ 14 bilhões no ano passado, crescimento de 25,4% em relação ao mesmo período de 2016.

Mas para poder utilizar o marketing digital e a tecnologia para impulsionar as vendas é necessário contar com o suporte de especialistas no setor. Fundada em 1987, a Diálogo Engenharia é uma construtora reconhecida pelo mercado, com mais de 170 torres prontas ou em construção, contabilizando 10.121 apartamentos entregues e quase 1,5 milhão de metros quadrados de área construída. Porém, a empresa enfrentava até recentemente um problema: por ser uma companhia mais tradicional, a Diálogo não conseguia se atualizar rapidamente sobre como utilizar o marketing digital e a tecnologia para evoluir seu processo de vendas.

Em suas reuniões de marketing e vendas as informações estavam desencontradas, o que tornava mais difícil tomar uma decisão estratégica. Lembrando que, quando se fala em vendas via internet, não faz diferença investir 100 mil ou 1 milhão se a empresa não tive experiência na gestão de mídia digital com foco em performance e na utilização dessas tecnologias.

Foi então que a empresa teve contato com a Hypnobox, companhia conhecida por transformar leads em comissões, e que há mais de dez anos oferece uma ampla gama de soluções e serviços para o mercado imobiliário, com um portfólio de clientes que inclui 100 das melhores empresas do setor. Para resolver as questões e impulsionar as vendas, a Diálogo contratou a solução da Hypnobox que inclui a metodologia UseLink, CRM e serviço de consultoria.

A Hypnobox promoveu uma verdadeira transformação digital na construtora. Para isso, mapeou, durante três meses, o cenário do ecossistema de fornecedores da Diálogo, criando indicadores para cada item, como custo por lead, valor por visita, custo por venda, taxa de conversão de leads e vendas, entre outros.

Após esse mapeamento, foram levantados os principais cases do mercado e comparados com o cenário da Diálogo, para ajudar a empresa a identificar os gargalos da operação. Na sequência, esses pontos de atrito foram trabalhados, diminuindo assim o custo por lead e incrementando as vendas.

“Agora estamos superando continuamente nossos resultados, investindo cada vez menos e vendendo cada vez mais”, comemora Rodrigo Barbosa, líder do projeto de transformação digital da Diálogo Engenharia, empresa que viu seu volume de vendas triplicar, enquanto que o investimento necessário para atingir esse forte resultado simplesmente foi 5 vezes menor.

Com a integração dos dados gerados pelas mídias com as informações do CRM, a Hypnobox conseguiu montar um cenário muito mais previsível para a Diálogo. Dessa forma, a construtora conseguiu visualizar exatamente o impacto de cada real investido em mídia no seu resultado final de vendas.

Assim a Diálogo Engenharia superou a meta de conversão entre lead x venda e chegou a 41,27% de share de comercialização online (em um cenário onde a média do mercado é de apenas 10% de vendas online de imóveis) após um trabalho integrado com a agência, a área de vendas e o marketing da incorporadora.  

A Diálogo, que deve fazer pelo menos mais seis lançamentos este ano, agora tem muito mais confiança sobre a estratégia para trabalhar com cada um deles, por contar com um parceiro com experiência reconhecida na gestão de mídia digital e foco em performance.

Sobre a Hypnobox

A Hypnobox nasceu em 2010 com o objetivo de auxiliar as empresas a lidarem com uma demanda crescente de consumidores, que utilizam a internet como plataforma para a busca de imóveis. O grupo oferece uma gama de soluções e serviços para o mercado imobiliário que permite aumentar a produtividade e a eficiência no processo de vendas. Por meio da tecnologia inteligente e de conhecimento do setor, garante investimentos assertivos para incorporadoras, imobiliárias e corretores autônomos.

Website: http://www.hypnobox.com.br

Fonte: exame.abril.com.br

Por Dino

O estacionamento do futuro.

 

O carro elétrico, em breve, vai dominar as grandes cidades – esse é o plano de praticamente todas as grandes montadoras. Governos de vários países já adotam uma legislação que visa a diminuição paulatina da circulação dos veículos com motor a combustão para os próximos anos e a proibição da sua produção nas próximas décadas.

A solução da indústria automobilística para o meio ambiente pode trazer um problema aos motoristas: onde recarregar a bateria do motor elétrico? Uma parceria entre a empresa de energia elétrica AES Tietê e a CSEMque desenvolve filmes fotovoltaicos orgânicos (OPV, na sigla em inglês) para a geração de energia solar a partir de PET – busca solucionar esse problema com seu Projeto Carport. Trata-se de um estacionamento de baixo custo capaz de gerar sua própria eletricidade a partir dos OPV aplicados na cobertura da estrutura que protege os carros.

“Vai ser o posto de gasolina do futuro”, diz Rodrigo Villaça, diretor-técnico da CSEM, sobre a utilização da solução tecnológica de sua empresa. A CSEM desenvolveu o que chama de “terceira geração de tecnologia fotovoltaica”: painéis solares mais leves e flexíveis, que utilizam material reciclável como matéria-prima.

Por sua flexibilidade e pequena espessura, o OPV é arquitetonicamente bem mais versátil que os painéis tradicionais. Mas a questão não é só estética. “Não faz sentido ter um veículo movido a eletricidade, não poluente, e carregá-lo com uma energia gerada de uma fonte poluente”, diz Villaça. É preciso, segundo ele, aprimorar a fonte de energia – a energia hidrelétrica, que predomina no Brasil, também não esta livre de críticas. “Os estudos técnicos são realizados pelo CSEM, enquanto estudos de mercado, de financiamento e de aspectos regulatórios são responsabilidade da AES Tietê”, diz Bernardo Sacic, diretor de Desenvolvimento de Negócios da AES Tietê.

A solução não tem data para chegar ao mercado. “Prevemos testes em campo no segundo semestre deste ano”, projeta Sacic. Em caso de sucesso, a produção e a comercialização devem começar um ano depois. O produto deverá ser inicialmente usado em grandes áreas, como estacionamentos externos de shoppings, supermercados e empresas. Futuramente, módulos menores, adquiridos em lojas de material de construção, serão oferecidos a consumidores que queiram instalar o Carport em suas casas.
A CSEM investiu R$ 2,4 milhões no projeto; a AES Tietê, R$ 500 mil. Além disso, o Carport conta com verba do programa P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Fonte: https://adamydesenvolvimentoimobiliario.wordpress.com

Por: Revista Forbes