Arquivo diários:1 de agosto de 2018

Espaço voltado para pets se torna diferencial de construtoras.

 

Em 2017, segmento movimentou cerca de R$ 25 bilhões. Crescimento dos números faz com que o mercado imobiliário se adequem a essa mudança comportamental

 
 
Áreas de lazer destinadas aos pets já são um importante diferencial na escolha de um imóvel (Foto: Divulgação)

Áreas de lazer destinadas aos pets já são um importante diferencial na escolha de um imóvel (Foto: Divulgação)

Os pets têm conquistado cada vez mais o mundo dos negócios, com as elevadas cifras investidas pelos humanos no bem-estar dos pets. Só em 2017, o segmento movimentou cerca de R$ 25 bilhões, conforme o Instituto Pet Brasil. Os números apontam um crescimento de 7% em relação ao ano anterior. Internacionalmente, o Brasil se encontra em terceiro lugar em faturamento nesse setor, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e Reino Unido.

Dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam para uma população de mais de 132 milhões de pets em todo o país. É a quarta maior população de animais de estimação em todo o mundo. Em Goiânia, de acordo com Centro de Zoonoses, a estimativa é que o número de cães e gatos na capital seja de 270 mil. Dados do IBGE confirmam essa paixão dos goianos pelos pets, afinal existem animais de estimação em 52,1% dos domicílios do Estado, ou seja, mais da metade das residências goianas.

O constante crescimento dos números de pets e sua inclusão como membro das famílias já fazem com que os espaços urbanos e o mercado imobiliário se adequem a essa mudança comportamental. Aliás, áreas de lazer destinadas aos pets já são um importante diferencial na escolha de um imóvel.  De acordo com Adriano Carrijo, diretor da Partini Negócios Imobiliários, responsável pela gestão comercial e de marketing do Horizonte Flamboyant,  as pessoas têm de fato reconhecido os animais de estimação como verdadeiros entes familiares, tendo o mesmo tipo de cuidado e atenção, por isso exigem soluções e opção de lazer e conforto também para eles. “A oferta de um espaço que proporcione bem-estar aos pets é, muitas vezes, decisiva no momento da compra de um imóvel”, afirma.

Lívia Rodrigues é uma dessas pessoas que estão dentro do perfil de consumidor que priorizam o bem-estar dos pets (Foto: Divulgação)

Lívia Rodrigues é uma dessas pessoas que estão dentro do perfil de consumidor que priorizam o bem-estar dos pets (Foto: Divulgação)

A dentista Lívia Grazielle Rodrigues, 32 anos, é uma dessas pessoas que estão dentro do perfil de consumidor citado por Adriano Carrijo. Ela leva diariamente Jolie – sua shih tzu de 3 anos – para passear no Parque Flamboyant. Segundo ela, esses momentos são muito importantes para a saúde e bem-estar desse seu ente querido. “No meu prédio não tem espaço para que ela possa brincar, por isso venho com ela duas vezes por dia para o parque”, destaca.

Lívia enfatiza ainda que procura horários mais seguros para passear com seu animal de estimação, por medo de roubo. “Não dá para deixá-la presa no apartamento, mas é preciso ter cuidado, pois estão roubando e sequestrando cachorros com muita frequência. Morro de medo”, afirma a dentista ao acrescentar que não sai sozinha com ela. “Sempre busco ir com alguém, porque além do perigo de ter a Jolie roubada tem os riscos dos locais em que a gente passeia com os cachorros não estarem preparados e oferecerem riscos à saúde do animal, por isso procuro levar alguém para me ajudar a cuidar”, justifica.

Nova prioridade

Adriano Carrijo destaca ainda que, as famílias hoje em dia já não abrem mão do bem-estar do seu animal de estimação e, por isso, a busca por espaços que propiciem a eles saúde, diversão e entretenimento têm sido uma das prioridades. “Quem tem um filho quer um local onde a criança tenha segurança e diversão. O mesmo ocorre com quem tem um pet, que não quer ver seu animal ser maltratado no condomínio”, explica.

Em Goiânia, diversos são os empreendimentos com um espaço para animais de estimação previsto em seus projetos, novo nicho de mercado adaptado a essa nova realidade social onde os animais de estimação tem um peso e uma importância substancial dentro das famílias.

De acordo com o Gerente Comercial da Consciente Construtora e Incorporadora, Rafael Rabelo, os chamados pet places já agregam mais valorização aos imóveis. “Hoje em dia é um item tão valorizado quanto os espaços infantis na área de lazer”, frisa.

Fonte: http://www.ohoje.com.br

Novas regras para a inclusão no setor imobiliário.

Resultado de imagem para Novas regras para a inclusão no setor imobiliário

Segundo o decreto, a partir de agora os projetos residenciais devem ter 100% de suas unidades adaptadas

Decreto assinado na semana passada pela presidente em exercício Cármen Lúcia não mereceu a devida atenção apesar de aproximar a legislação do Brasil das melhores normas internacionais. Ele institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência para o segmento imobiliário de médio e alto padrão. Segundo o decreto, a partir de agora os projetos residenciais devem ter 100% de suas unidades adaptadas. Nas discussões preliminares, o governo queria um índice de apenas 10%. Além de beneficiar milhões de brasileiros, a nova regra é uma vitória particular da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), que defendeu a iniciativa desde o início. “Promover a inclusão das pessoas com deficiência e criar ambientes que permitam maior acessibilidade é um ato de cidadania, diz Luiz Antonio França, presidente da Abrainc. Ficam isentos da nova medida os empreendimentos do programa Minha casa, minha vida, regrados pelo artigo 32 da mesma lei.

“Preferimos comprar algo que nos satisfaça hoje em vez de pensar em ganhar no futuro. Isso nos leva a decisões irracionais”

Fonte: https://www.em.com.br