Arquivo diários:5 de dezembro de 2018

Cresce o número de lançamentos e vendas de imóveis residenciais em Jundiaí.

Estudo divulgado pelo Secovi-SP apontou aumento de 53% e 29% respectivamente. Crescimento detectado é positivo e indica a retomada do mercado imobiliário local.

Montante movimentado no setor imobiliário de Jundiaí totalizou R$ 305,3 milhões de reais — Foto: Prefeitura de Jundiaí/Divulgação

O setor imobiliário de Jundiaí está em ritmo de recuperação. Segundo estudo divulgado pelo Sindicato de Habitação (Secovi-SP), realizado no período entre dezembro de 2017 e novembro de 2018, foram lançadas 750 unidades na cidade, volume 53% maior do que no período anterior, quando os lançamentos totalizaram 489 residências. No mesmo intervalo de tempo, 1.080 imóveis novos foram comercializados no município. O resultado representa um aumento de 29% em relação às 837 residências vendidas e contabilizadas no levantamento anterior.O setor imobiliário de Jundiaí está em ritmo de recuperação. Segundo estudo divulgado pelo Sindicato de Habitação (Secovi-SP), realizado no período entre dezembro de 2017 e novembro de 2018, foram lançadas 750 unidades na cidade, volume 53% maior do que no período anterior, quando os lançamentos totalizaram 489 residências. No mesmo intervalo de tempo, 1.080 imóveis novos foram comercializados no município. O resultado representa um aumento de 29% em relação às 837 residências vendidas e contabilizadas no levantamento anterior.

O levantamento, desenvolvido por Robert Michel Zarif, em parceria com o Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação, iniciou os estudos em dezembro de 2015 e finalizou em novembro de 2018, neste período, os lançamentos de novos imóveis somaram 2.606 imóveis residenciais, desses, 2.094 unidades foram comercializadas, sendo um total de 80,4% das residências ofertadas.

O estudo apontou ainda que, os imóveis em destaque foram os que possuíam dois dormitórios, registrando a maior quantidade de vendas com 451 unidades, no período de dezembro de 2017 a novembro de 2018. Neste período, o montante movimentado no setor imobiliário de Jundiaí totalizou R$ 305,3 milhões de reais, volume 11% superior ao registrado no período anterior, quando atingiu a marca de R$ 275,9 milhões.

Destaques

Os imóveis de 2 dormitórios destacaram-se na maioria dos indicadores, no período de dezembro de 2017 a novembro de 2018, registrando a maior quantidade de vendas (451 unidades), de lançamentos (382 unidades), e de oferta final (226 unidades). O maior VGV (R$ 128,3 milhões) ficou com os imóveis de 3 quartos. Já o melhor desempenho em termos de VSO (Vendas Sobre Oferta) foi verificado na tipologia de 2 dormitórios econômicos, que atingiu 78,3%, resultado da divisão das 285 unidades vendidas em relação aos 364 imóveis em oferta.

Análise por segmento – Cidade de Jundiaí

Dormitórios Oferta maior Lançamentos Vendas Oferta final VSO (%)
1 Dorm (econômico) 0 0 0 0 ***
1 Dorm 0 0 0 0 ***
2 Dorm (econômicos) 246 118 285 79 78,3%
2 Dorm 295 382 451 226 66,6%
3 Dorm 301 250 344 207 62,4%
4 Dorm 0 0 0 0 ***
Total 842 750 1080 512 67,8%

O levantamento indicou também preços médios totais no período foram de R$ 178.000,00 (1 dormitório econômico), R$ 203.585,00 (2 dormitórios econômicos), R$ 256.473,00 (2 dormitórios), R$ 404.348 (3 dormitórios). Ao analisar o preço médio por metro quadrado, os valores ficaram em R$ 4.496,00 (2 dormitórios) e R$ 4.864,00 (3 dormitórios).

Recuperação do mercado

Para o vice-presidente do interior do Secovi-SP, Frederico Marcondes César, os dados mostram que o mercado imobiliário de Jundiaí está em franca recuperação. “O crescimento detectado em lançamentos e vendas é positivo e indica a retomada do mercado imobiliário local”, comenta.

Os dados apresentados no estudo demonstram a tendência positiva que o mercado imobiliário deve apresentar nos próximos anos, como explica o representante do Secovi-SP em Jundiaí, Ricardo Benassi, “o crescimento deste ano é considerável e esse otimismo acaba se refletindo nas perspectivas para 2019, que tende a ser um ano muito mais favorável para o Brasil e para o mercado imobiliário”, complementa.

Benassi acrescenta, ainda, que investir em imóveis continua sendo uma excelente opção de negócio. “Embora o mercado esteja se recuperando após as instabilidades político-econômicas do país vividas ao longo do ano, é possível encontrar boas oportunidades para quem quer realizar o sonho da casa própria ou sair do aluguel”, afirma.

Vários fatores são levados em consideração para os interessados nos imóveis, entre eles, Walter da Costa e Silva Filho, presidente da Associação das Empresas e Profissionais do Setor Imobiliário de Jundiaí e Região (Proempi), cita a qualidade de vida do município.

“A cidade apresenta boa qualidade de vida, oportunidades de carreira e um bom crescimento econômico por parte da população, o que atrai muitos interessados em fixar residência em Jundiaí ou simplesmente em investir”, conclui.

Estudo aponta aumento de 53% e 29% o número de lançamentos e vendas de imóveis residenciais em Jundiaí — Foto: CCR AutoBAn/Divulgação

Fonte: g1.globo.com

Melhora na confiança no Brasil faz setor imobiliário apostar em momento de inflexão.

O mercado imobiliário brasileiro vive um momento de possível inflexão após uma crise sem precedentes nos últimos anos, ainda que o cenário macroeconômico siga desafiador, afirmou nesta terça-feira o presidente da Federação Internacional Imobiliária (Fiabci-Brasil), Rodrigo Luna.

“Foram anos muito difíceis, em que o principal insumo para o nosso setor, que é a confiança, só foi ladeira abaixo… Esse é um momento importante, um momento de inflexão”, disse Luna durante mesa redonda na sede do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

O vice-presidente de Relações Institucionais do Secovi-SP, Basilio Chedid Jafet, também tem uma perspectiva positiva para a indústria brasileira da construção: “Sentimos onda de otimismo varrendo o setor produtivo, com empresários falando em novos investimentos e as vendas no setor imobiliário recomeçando”, disse.

De acordo com Jafet, o Secovi-SP espera encerrar o segundo semestre com resultados melhores no mercado imobiliário, após um primeiro semestre afetado pela greve dos caminhoneiros.

Outro fator que alimenta o otimismo, segundo ele, é a nomeação do presidente do sindicato, Flavio Amary, como secretário da Habitação do Estado de São Paulo pelo governador eleito João Dória. “Isso nos coloca mais próximos da nova gestão”, destacou.

Jafet substituirá Amary na presidência do Secovi-SP, com mandato até o fim de 2019. Anteriormente, ele presidiu a Fiabci-Brasil entre 2011 e 2015.

Em breve aparição no evento, o futuro secretário da Habitação do Estado de São Paulo disse que focará os esforços na redução do déficit habitacional. “Dentro do programa de governo existem algumas ações propostas e é o que pretendo executar, como o cheque moradia, diminuição das favelas, processo de regularização fundiária, programa de locação social”, comentou.

Amary acrescentou que também se empenhará para desburocratizar os processos de licenciamento para habitação, bem como ampliar a participação da iniciativa privada na produção de empreendimentos imobiliários, principalmente os destinados à população de baixa renda, por meio das chamadas Parcerias Público-Privadas (PPPs).

“A PPP faz parte do programa de governo e o objetivo é dar sequencia às PPPs que já estão em andamento do governo anterior e buscar outras alternativas também de PPPs que possamos usar para incentivar o investimento e trazer mais habitação para populações, principalmente de baixa renda”, explicou Amary.

Fonte: extra.globo.com

Por Gabriela Mello