Arquivo diários:1 de março de 2019

Pesquisadores usam cascas de batata na produção de materiais ecológicos para a construção civil

Ah, batata! Frita, assada, amassada, cozida… É realmente difícil achar alguém que não goste de batata. Agora, mais uma parte desse tubérculo tão amado pode ser usada: a novidade são as pesquisas que usam cascas de batata na produção de materiais ecológicos na construção civil.

cascas de batata na produção de materiais ecológicos
Imagem: rowanskitchen.com

+ Do lixo ao luxo

Parece estranho, mas usar resíduos orgânicos na produção de outros materiais é uma tendência nova e que, felizmente, está ganhando espaço na ciência. Não faz muito tempo que nós mostramos aqui no Engenharia 360 sobre o pneu feito de casca de ovo e tomate, por exemplo, e há ainda um grande reaproveitamento de cascas de banana na produção de vários materiais, de cinzas de cascas de arroz para misturar com cimento e reduzir a necessidade de enchimentos, do uso de cascas de amendoim para produzir materiais de baixo custo e muito mais.

+ Casca de batata na produção de materiais ecológicos

Se nós já usamos a batata para tantas finalidades, por que não encontrar mais uma para a parte do tubérculo que vai para o lixo? Esse é o objetivo de Greg Cooper, Rowan Minkley e Robert Nicoll, que fundaram a Chip[s] Board.

cascas de batata na produção de materiais ecológicos
Imagem: constructionkenya.com

Na verdade, esses pesquisadores estavam abismados com a quantidade de materiais que é descartada sem reaproveitamento ou reciclagem. Então, começaram a procurar por um novo material que não teria o mesmo impacto ambiental quando fosse descartado.

Os materiais desenvolvidos pela empresa são alternativas aos resinosos derivados da madeira e possuem a vantagem de não ter químicos prejudiciais para o meio ambiente em sua composição, como formaldeídos. Uma mistura de batata é usada como ligante para as fibras da casca (de batata e de outros materiais, como bambu e madeira reciclada) e o resultado final são painéis prensados. Eles podem substituir o MDF, que é rapidamente descartado após o uso na construção civil, por exemplo.

cascas de batata na produção de materiais ecológicos
Imagem: chipsboard.com

Os detalhes da produção não foram divulgados por causa da solicitação de patente. Outras pesquisas também estudam não só as cascas de batata, mas também o uso de outros alimentos para produzir materiais ecológicos. No caso das batatas, também há pesquisas sobre o uso de sua casca para isolamento acústico.

As maiores fontes de casca de batata que podem contribuir para a produção dos materiais ecológicos são empresas que processam e produzem derivados da batata e grandes restaurantes. A quantidade de cascas de batata que geramos em casa não é suficiente para a produção em massa de materiais ecológicos. Porém, você pode adotar uma composteira para depositar esse tipo de resíduo e ter adubo para as suas plantinhas.

cascas de batata na produção de materiais ecológicos
Imagem: krishijagran.com

+ Desperdício zero

Acredita-se que um terço da comida produzida no mundo não é consumida. Os motivos são os estragos após a colheita e transporte e o desperdício dos próprios consumidores. Isso, por si só, já é um absurdo, visto que uma parte considerável da população mundial passa fome.

cascas de batata na produção de materiais ecológicos
Imagem: thegreenhubonline.com

Ao usar os restos de alimento para produzir alguns materiais, além da vantagem de menor impacto ambiental (visto que os materiais tendem a ser “ecológicos”), há o fato de que o desperdício pode ser convertido em um recurso de escala industrial. Isso envolve usar a parte da produção considerada danificada e que seria descartada como uma fonte para a produção e consequentemente, menor geração de resíduos.

Fonte: engenharia360.com

Referências: Construction KenyaArupInhabitat.

Exoesqueleto robótico permitirá que você levante até noventa quilos sem esforço

Quem nunca sonhou em vestir a armadura do Homem de Ferro para se sentir como um super-herói por um dia? E não é apenas um sonho de infância: muitos trabalhadores que precisam levantar pesos pesados ​​diariamente também ficariam encantados por ter essa tecnologia. 

Felizmente, o que era apenas ficção científica começou a se tornar realidade com projetos tecnológicos como o desenvolvido pela Sarcos Robotics, uma empresa norte-americana dedicada ao desenvolvimento de sistemas robóticos. 

A empresa acaba de apresentar seu novo exoesqueleto para trabalhadores na construção e outras indústrias pesadas. Ele é chamado de Guardian XO e oferece recursos verdadeiramente impressionantes que combinam o poder de uma máquina com inteligência e mobilidade humana.

De acordo com os promotores deste projeto tecnológico, o exoesqueleto robótico, que consiste em um sistema de apoio para braços e pernas, é capaz de levantar até noventa quilos sem que o operador tenha lesões e a sensação de estar carregando muitos quilos, ou seja, multiplicando sua força por vinte. 

No entanto, a força bruta é apenas uma das qualidades desta nova tecnologia. Ela reúne um conjunto de atuadores (músculos humanos robótico equivalente), sensores, software para controle da máquina e sistemas que permitem ao operador calibrar o peso.

Outra das chaves do robô Guardian XO é sua autonomia de oito horas graças às suas baterias sofisticadas e à capacidade de alterá-las sem precisar desligá-las, para continuar usando-as sem cabos.

Este exoesqueleto tem agora duas versões, o padrão, que permite levantar até trinta e cinco quilos e o MAX, que levanta até noventa. Ambos já estão comercialmente disponíveis, embora não sejam vendidos individualmente, mas como um serviço para empresas, o que inclui estações de recarga e assistência técnica. Então, por enquanto, você não pode imitar o Homem de Ferro no seu tempo livre.

Fonte: engenhariae.com.br

Por Any Karolyne Galdino