Arquivo diários:19 de março de 2019

A retomada do setor de construção civil

O setor de construção civil sofreu muito com a crise dos últimos anos. Mas, felizmente, desde o final de 2018, nota-se uma retomada na confiança, o que já representa um crescimento nas vendas de imóveis. As perspectivas voltaram a ser otimistas.

Com o PIB previsto para avançar 2,5% em 2019, o setor de construção estima crescer até 2%, como apontam dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Sindicato da Indústria de Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP). Muito disso se deve à esperança da população no novo governo e à expectativa de estabilidade política e econômica.

Contudo, assim como vários mercados, o setor imobiliário também passa por transformações importantes. A busca pelo acesso em vez da posse tem feito com que algumas construtoras passassem a construir condomínios não com a intenção de vender os apartamentos, mas sim de alugá-los. Uma grande mudança de paradigma para o modelo de negócio.

Outra vertente de mudança é a de imóveis cada vez menores. Com menos filhos, a necessidade de espaço diminui, fazendo com que a localização se torne muito mais importante do que o espaço. Nesse sentido, imóveis modulares, onde um quarto se transforma em sala em questão de segundos, registram franca expansão.

Mais conscientes, as famílias não abrem mão de imóveis mais sustentáveis. Condomínios com sistemas de reuso de água, irrigação inteligente das áreas verdes e painéis solares para produção de energia limpa são cada vez mais procurados.

Construções com fachadas verdes e amplos jardins que proporcionem momentos de relaxamento e bem estar estão no topo das prioridades de quem busca um imóvel com apelo ambiental. Além de mais conforto térmico, redução da poluição sonora, visual e do ar, moradores de várias cidades do país já começam a se beneficiar de iniciativas como o IPTU Verde, que faz uma redução gradativa no imposto de acordo o nível de sustentabilidade do imóvel.

Além de economia nas contas de energia, água e IPTU, outra grande vantagem desses investimentos sustentáveis é a valorização do imóvel. Pesquisas mostram que casas e apartamentos com práticas mais sustentáveis chegam a valer até 30% mais.

Construtoras que se atentarem a todas essas tendências certamente verão uma rápida recuperação em seus mercados. Entender as demandas, necessidades e preferências dos clientes será sempre o melhor antídoto contra qualquer crise.

Eu, Danny Braz sou engenheiro civil, consultor internacional com foco em construções verdes e diretor geral da empresa Regatec.

 Sobre a Regatec: http://www.regatec.com.br/

A Regatec é uma empresa especializada em irrigação para paisagismo e campos esportivos. É a primeira empresa brasileira a se especializar em irrigação e automação por controle central, assim como foi a primeira distribuidora da marca Rain Bird, pioneira em irrigação de estádios, campos de futebol. Dispõe de know-how próprio, que faz adequação da cultura e dos produtos nacionais aos rígidos critérios internacionais para a total eficiência na irrigação.

Fonte: http://jornaldiadia.com.br

Paineis solares x Telhas solares

A tendência de hoje em dia é buscar métodos que sejam amigáveis ao meio ambiente, como aqueles que não emitem gás carbônico e que reduzem o uso dos recursos naturais. Assim, que tal aproveitar os raios do sol e produzir fonte de energia renovável, limpa e que pode ser convertida em eletricidade por meio de painéis solares ou telhas solares? Para ajudá-los com isso, no post de hoje mostraremos uma ficha sobre esses dois métodos, dando maior poder de escolha para vocês. Acompanhe!

Painel Solar

paineis solares

Painel solar é, resumidamente, o equipamento que capta a energia solar e a converte em outras formas de energia que podemos aproveitar em nosso dia a dia. O tipo mais famoso é o painel fotovoltáico, que converte a luz solar em energia elétrica, mas há também outros equipamentos, como os aquecedores solares, que usam a energia do sol para aquecer água, economizando assim os gastos com chuveiros e aquecedores elétricos, equipamentos de aquecimento muito comuns no Brasil, mas que são vilões no consumo de energia.

  1. Os painéis solares são a opção mais antiga entre os dois, desenvolvido pela primeira vez na década de 1950. Com uma durabilidade em cerca de 40 anos, existem painéis que ainda hoje estão trabalhando em impressionantes 80% de sua capacidade original.
  2. Os painéis solares mais comuns medem cerca de 1,6m² e produzem de 240 a 275 watts.
  3. Você pode facilmente mudar posição e o ângulo dos painéis solares para captar melhor a luz do sol, não importando em qual direção o seu telhado está.
  4. Sua instalação é muito prática e versátil, podendo ser feita em diferentes tipos de telhados, ou mesmo no alto de um poste, em seu jardim ou quintal.
  5. Os painéis solares são mais adequados para a adaptação em telhados já existentes se eles se adequarem à durabilidade dos próprios painéis, que são normalmente garantidos por 25 a 30 anos, com mínima – ou nenhuma – mudança estrutural.

Infelizmente, no Brasil, o preço de painel solar ainda não é atrativo para o consumidor residencial, que não recebe nenhum subsídio do Governo, tornando o custo muito elevado para ser uma opção viável para a maioria dos consumidores brasileiros. As placas de energia solar vendidas no Brasil podem ultrapassar os R$2000,00 por módulo, dependendo da eficiência desejada para o sistema

Telha Solar

sistema-tejado-solar

Uma aposta interessante são as telhas sustentáveis ou telhas fotovoltaicas, parecidas com os modelos convencionais, as telhas integram mini painéis solares embutidos em seu interior, á diversas formas e modelos hoje em dia no mercado, a maioria delas é feita de cerâmica e possuí 4 células fotovoltaicas, a instalação acontece embaixo do telhado até o conversor, uma inovação do setor energético que está ganhando destaque internacional e promovendo a sustentabilidade.

Com a instalação dessas telhas solares em uma área de 45m², a geração de energia alcançaria cerca de 3kw e supriria a demanda energética de uma casa, a colocação dessas telhas fotovoltaicas é realizada como de costume, são telhas comuns, como as outras vendidas no mercado, mas com o potencial de gerar energia limpa e sustentável para todos os consumidores.

  1. As telhas solares são um tipo de tecnologia mais moderna, começando a ser comercializadas em 2005. Porém, por elas serem tão novas, ainda não há quaisquer dados reais sobre quanto tempo elas possam durar.
  2. Semelhante em tamanho e forma a uma telha de cerâmica, é facilmente adaptável à quase todo tipo de telhado e uma única telha solar produz de 13 a 63 watts. Este tipo de dispositivo solar, originalmente tinha eficiência de conversão baixa, cerca de metade da taxa de painéis solares. No entanto, com os avanços tecnológicos ao longo dos últimos anos, melhorou muito essa taxa.
  3. As telhas solares tomam o lugar de suas contrapartes convencionais com o próprio material de cobertura; portanto, o momento ideal para instalá-las é quando você está construindo uma casa nova ou quando for substituir o seu telhado atual.
  4. Leve e atraente, com uma cor azul escura, telhas solares têm resistência às intempéries, além da flexibilidade e encaixes iguais às telhas de cerâmica.
  5. Um telhado de telha solar é relativamente rápido de instalar; sendo que seu tempo reduziu em cerca de 60% na última década para cerca de 10 horas. No entanto, uma perícia técnica ainda é necessária. Tal como acontece com painéis solares, um telhado de telha solar, deve estar em conformidade com os códigos de construção geral, assim, recomenda-se contratar um profissional qualificado com experiência neste tipo de serviço.
  6. A instalação inicial é cara, sendo que no futuro o sistema de telhas solares da Tesla se paga a ele próprio.

De acordo com a empresa norte-americana Tesla, a produção da telha solar já começou e logo será comercializada. Chamada de Solar Roof, a telha solar irá custar em torno de 21,85 dólares por metro quadrado, ou seja, dois dólares a menos que a metragem da telha comum. Em um comunicado em janeiro, a Tesla destacou que o projeto pode ser customizável, não precisando que todas as telhas sejam solares. O novo produto da Tesla é produzido com vidro temperado e é três vezes mais resistente que o tradicional segundo a empresa. Com uma garantia de 30 anos, o consumidor pode incluir até 70% de telhas solares em sua residência.

Já no Brasil para esta novidade ganhar o mercado e atingir os consumidores, o governo necessita diversificar mais a matriz energética no país, promover maiores subsídios para as energias renováveisprincipalmente no setor solar, atraindo então mais investidores capazes de implementar essas fabricações de telhas fotovoltaicas em território nacional. Cada avanço no setor energético é importante para gerar mais sustentabilidade e colaborar com as energias renováveis, temos que apostar nessas inovações para contribuir com o nosso meio ambiente.

Seja qual modelo for escolhido, ambos, painéis solares ou telhas solares, devem resultar em economias substanciais na conta de energia elétrica, especialmente durante períodos ensolarados. Assim, não precisa ter medo de errar, pois qualquer opção será um ótimo investimento para sua casa, suas contas e para o meio ambiente.

Fonte: civilizacaoengenheira.wordpress.com