Arquivo diários:21 de março de 2019

Retrofit em edificações tombadas movimentam a construção civil

É fundamental conhecer a história do empreendimento a fim de manter as suas particularidades através de um processo de modernização

Retrofit, termo que vem do inglês, significa “renovar o antigo”. Porém, na construção civil, o seu significado é ainda mais amplo. Ao contrário do que muitos pensam, retrofit vai além de uma simples reforma, ele pretende utilizar as características do próprio empreendimento e aprimorá-las mantendo seus aspectos positivos através de um processo de modernização da edificação.  Não se trata somente de uma simples reforma e, sim, de revitalização do empreendimento mantendo a sua essência e peculiaridades. Afinal, com o projeto de retrofit, quando bem executado e planejado, é possível minimizar custos com manutenção e aumentar a vida útil da construção.

Para um projeto de retrofit obter o sucesso desejado é preciso pensar na estratégia a ser executada desde a sua concepção até a sua implantação dentro de um contexto social pré-existente, onde há todo um ecossistema no entorno da edificação com residências, avenidas e, principalmente, pessoas. Logo, é fundamental conhecer a história do empreendimento e do local onde ele está inserido a fim de manter as suas particularidades, porém, utilizando a tecnologia para trazer um aspecto mais moderno e atual ao empreendimento unindo inovação à tradição histórica.

Fonte: guia_normas.cdr

Os requisitos dos usuários devem ser atendidos de forma a promover segurança, habitabilidade e sustentabilidade, tendo para cada um desses tópicos solicitações particulares e expressos pelos seguintes fatores (Norma ABNT NBR 15.575:2013):

  • Segurança: Segurança estrutural; segurança contra o fogo; segurança no uso e na operação;
  • Habitabilidade: Estanqueidade; desempenho térmico; desempenho acústico; desempenho lumínico; saúde, higiene e qualidade do ar; funcionalidade e acessibilidade; conforto tátil e antropodinâmico;
  • Sustentabilidade: Durabilidade; manutenibilidade; impacto ambiental.

Entre os benefícios do retrofit, podemos citar a redução de custos por manter alguns aspectos estruturais do empreendimento e eficiência energética ao minimizar o uso de recursos naturais, além da redução de desperdício no canteiro de obras.

Retrofit não é reforma

Baseado em um conceito de preservar a história da construção, ao invés de derrubar um edifício antigo, por exemplo, é feito um processo que modifica as estruturas e renova a fachada, mas que mantém as suas características essenciais. O processo leva em conta fatores econômicos, sociais e, também, o contexto histórico e o meio onde ele está inserido, além do uso de novas tecnologias para tornar essa transição mais efetiva e menos danosa. Devido ao envelhecimento e perda de função ou da qualidade de obras antigas, o tema “reforma de edificações” passa a ser altamente relevante por conta do crescimento das grandes cidades. Porém, antes da sua execução, devem ser observados alguns requisitos, principalmente, a segurança das edificações, seus usuários e o entorno. Por isso, devem ser implantados os requisitos da norma ABNT NBR 16.280 e da ABNT NBR 15.575 durante o projeto. Desta forma, o retrofit não é colocado em nenhuma dessas caixas, pois a maior diferença entre reforma e retrofit é que durante a reforma não há uma preocupação em manter as características originais do prédio, já no retrofit é primordial levar em conta tais fatores.

Retrofit no Brasil

Muito comum em países como Portugal, Espanha e Estados Unidos, o Retrofit ainda é pouco difundido no Brasil devido a burocracia enfrentada para a reconstrução de prédios tombados como patrimônios históricos no país. Porém, a técnica tornou-se uma opção mais viável e eficiente, além de lucrativa. Muitos hotéis internacionais têm buscado edifícios antigos para investir em projetos de revitalização através do retrofit. O Edifício Martinelli, situado na Bela Vista, em São Paulo, por exemplo,  foi um dos projetos de revitalização que utilizaram o retrofit para trazer uma “cara nova” ao patrimônio cultural que foi adquirido em 2008 pelo Groupe Allard. Entre os projetos de retrofit que tem como objetivo principal a revitalização de edifícios antigos com grande valor histórico para a sociedade para transformá-los em grandes e luxuosos hotéis, temos:

Cidade Matarazzo: Revitalização de patrimônio histórico

Empresa: Tessler Engenharia

Área construída: 30.000 m²

Retrofit do hospital Matarazzo vai transformá-lo no hotel mais luxuoso do Brasil

É a maior obra de revitalização de patrimônio histórico sem aporte de recursos públicos da história do Brasil. Com 30 mil m², terá seus edifícios históricos que abrigam os prédios do antigo Hospital Matarazzo, restaurados e preservados, incluindo a sua capela, que será consagrada novamente.

Tipo de concretagem: Devido a sua localização, com grande vizinhança, o Cidade Matarazzo utilizou um concreto que evitasse o uso de vibração, a fim de diminuir os riscos de atingir algum vizinho no processo de concretagem. Para isso, foi utilizado o ADENSAMIX – concreto autoadensável da Engemix – indicado para paredes e lajes de concreto, paredes-diafragma especiais, peças com alta densidade de armadura, peças delgadas e pré-fabricadas, devido a sua alta fluidez. Permite alcançar grandes distâncias horizontais, ultrapassar obstáculos e preencher todos os vazios das formas sem a utilização de vibradores.

Referências técnicas utilizadas na matéria:

ABNT NBR 15.575 – Desempenho de edificações habitacionais;

ABNT NBR 16280 – Reforma em edificações – Sistema de gestão de reformas – Requisitos;

ABNT NBR 14037 – Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das edificações – Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos;

Guia para Arquitetos na aplicação da Norma de Desempenho – AsBEA.

Fonte: www.mapadaobra.com.br

Coliving e a geração que não quer mais adiar o sonho de morar sozinho

Tendência alia economia a novas experiências

Às vezes a vontade de sair da casa dos pais não é apenas morar sozinho. Pode ser uma necessidade ou uma vontade interna de passar por novas experiências. É claro que isso tem um custo, não só financeiro, mas também emocional. De acordo com o último levantamento da consultoria IDados, a proporção de pessoas entre 25 e 34 anos, que ainda moram com os pais, cresce periodicamente, atingido mais de 20% da população. As inúmeras questões, na hora de dar os primeiros passos para esse processo, cheio de dores e delícias, como, por exemplo, aluguéis muito altos ou apartamentos perfeitos, porém, enormes, nos motivam a fugir do lugar comum. Atenta às mudanças do mercado de locação de imóveis, uma nova geração começa a ganhar cada vez mais espaço, a geração do coliving.

Foto: Appzinho / DINO

Jovens estudantes, amigos de longa data, pessoas que buscam economizar uma graninha no fim do mês. São diversos os perfis que aderem a essa tendência de mercado. É o caso da Amanda, cliente do Appzinho, plataforma personalizada, especializada no aluguel de pequenos imóveis e quartos. Ela tinha um quarto vazio em casa e um aluguel inteiro para pagar. “Estava precisando alugar o meu quarto, não conhecia o site, mas pensei: por que não? Me surpreendi com a quantidade de ligações que recebi. Em duas semanas, consegui achar a minha nova roommate”, diz.

Muito comum fora do Brasil, os roommates, pessoas que compartilham quartos ou apartamentos, estão cada vez mais ganhando espaço por aqui. Esse tipo de oferta é o resultado, não apenas da crise financeira que atingiu o país, mas também de uma opção de qualidade de vida, de uma sociedade que precisa fazer acontecer. Diferente de outras plataformas, o Appzinho possibilita que anunciantes de apartamentos pequenos ou quartos, paguem uma taxa mensal. Assim, com apenas 8% de contribuição, em cima do valor do aluguel anunciado, o cliente garante o melhor custo-benefício para o seu negócio. Conhecido como “o classificado para começos felizes”, o site vai muito além do óbvio, oferecendo assessoria personalizada desde a implantação de um anuncio até a assinatura do contrato.

O trabalho é intenso. Na plataforma, onde o céu é o limite, tudo foi pensado e planejado para atender aos clientes com todo o carinho, cuidado e rapidez. Filtros como “cercado de verde”, “amigos dos pets”, “silencioso” ou “perto do agito”, são utilizados para deixar a busca com a carinha de quem procura. Promover o diálogo entre pessoas que tenham os mesmos interesses também é função dessa equipe de mulheres que amam o que fazem. “Trabalhamos, acima de tudo, com gente! Queremos ser vistos como uma comunidade que se ajuda.” Diz Daniela Pereira, idealizadora da plataforma junto com suas filhas Fernanda e Gabriela.

“Temos clientes que querem se mudar, mas não fazem nem ideia de por onde começar. Gostamos de conhecer essas pessoas e cruzar seus perfis. Dessa forma conseguimos oferecer o melhor. Um apê que caiba no bolso ou, quem sabe, o quarto ideal, em um apartamento compartilhado, tornando esse sonho financeiramente possível e agradável. Assim, conseguimos ajudar os dois lados. O proprietário, que precisa arcar com os custos de um apartamento vazio e os inquilinos que só precisavam de um empurrãozinho para se conhecerem”, completa Fernanda.

O Appzinho disponibiliza opções de imóveis no Rio de Janeiro e em Niterói e tem planos de expandir o negócio para todo o país, além de lançar um aplicativo para Android e IOS. Atualmente é possível encontrar opções na Tijuca, Zona Sul e Barra da Tijuca. A plataforma de aluguel de quartos e apartamentos reúne proprietários de imóveis, algumas imobiliárias selecionadas e pessoas que procuram por um cantinho para chamar de seu. Além de todas essas opções funcionais, o cliente também encontra na plataforma e nas redes sociais da marca dicas de decoração, organização de pequenos espaços, de cozinha e até de limpeza.

O plataforma está hospedada no endereço https://www.appzinho.com/home/ e oferece facilidades de navegação, que aperfeiçoam a experiência dos usuários.

Sobre o Appzinho:

Há cerca de cinco anos a jornalista Daniela Pereira se viu em meio a um dilema pessoal: suas duas filhas, Fernanda com 23 anos e Biba com 19 anos, estavam criando sua própria independência, cada uma em seu tempo, e ela sentiu a necessidade de ajudá-las a entender como é cuidar de uma casa e ser “dono do próprio nariz”.

Depois de começarem uma pesquisa sobre as dores e delícias que a nova geração vinha passando para deixar a casa ou cidade dos pais, o trio descobriu um mundo de possibilidades e assuntos a serem explorados. Assim surgiu o Apezinho, um blog que reúne conteúdo especialmente preparado para ajudar os amigos e os novos amigos a viverem por conta própria.

Mergulhar fundo no universo do Apezinho promoveu uma verdadeira revolução na vida das três. Elas passaram a cultivar hábitos alimentares mais saudáveis, uma filosofia de vida minimalista e aprenderam a organizar melhor as finanças. Com o sucesso do blog ao longo dos primeiros anos, a família vislumbrou uma possibilidade de empreender com propósito e transformá-lo em um negócio.

De olho no mercado imobiliário, que movimenta milhões em todo o mundo, mãe e filhas buscaram investidores para transformar o seu sonho em realidade. Com o aporte financeiro foi possível tirar o projeto do papel e criar um modelo de negócio inédito no setor imobiliário brasileiro, estudado e planejado minuciosamente.

Do Apezinho nasceu o Appzinho, definido pelas fundadoras como um “classificado para começos felizes”. A missão do negócio é ajudar pessoas a conquistarem o sonho de morar sozinho, seja alugando um quarto em uma residência compartilhada ou um apartamento inteiro para si.

A plataforma de aluguel de quartos e apartamentos reúne proprietários de imóveis, algumas imobiliárias selecionadas e pessoas que procuram por um cantinho para chamar de seu. Diferente de outros sites, o Appzinho possibilita que anunciantes de apartamentos pequenos ou quartos, paguem uma taxa mensal. Assim, com apenas 8% de contribuição, em cima do valor do aluguel anunciado, o cliente garante o melhor custo-benefício para o seu negócio e conta com opções de aluguel menos burocráticas e mais personalizadas, além de outros serviços úteis para quem mora sozinho e dispõe de pouco tempo e dinheiro para organizar os detalhes.

Website: https://www.appzinho.com/home/

Fonte: www.terra.com.br

Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra