Arquivo diários:12 de abril de 2019

5 maneiras como a IA mudará a construção civil

Você deve ter percebido que, nos últimos tempos, um conceito que está bombando na área de tecnologia é a Inteligência Artificial (IA). A verdade é que nossa expectativa de criar máquinas inteligentes não é nova (um exemplo são os filmes que já retratavam o assunto há anos), mas estamos cada vez mais perto. Tanto que várias ferramentas já estão inseridas em nosso dia a dia, facilitando nossas vidas. Nesse sentido, listamos algumas formas que a IA mudará a construção civil. Confira!

Como a IA mudará a construção civil?

1. Otimização do projeto

Engenheiros, arquitetos e designers passaram do lápis e do papel para os computadores em algum momento entre o século passado e os tempos atuais. Tanto que, atualmente, é difícil (ou praticamente impossível) encontrar algum profissional da área que não use uma ferramenta computacional.

A questão é que, nos últimos anos, a computação também evoluiu e, com isso, a inteligência artificial conquistou seu espaço. Na construção civil, é possível usar softwares de IA para coleta de dados e análise das melhores opções de alocação e criação de obras. Por exemplo, na escolha do melhor local para a construção, dos materiais que serão usados, etc. Os construtores poderão fazer uma grande análise de dados em segundos e em tempo real, tornando tudo muito mais rápido.

IA mudará a construção civil
Imagem: constructionmanagermagazine.com

2. Controle de qualidade

No quesito controle de qualidade, a IA pode ser usada para avaliar imagens de drones e comparar com modelos existentes. O processo é relativamente simples para quem opera o sistema. Basta usar um drone (já muito comum na construção civil) para registrar fotos dos locais e, em seguida, rodar um software de comparação.

Assim, é possível detectar problemas de uma forma que o olho humano não seria capaz de fazer. E nós sabemos que, quanto mais cedo o problema é detectado, mais fácil é a correção.

IA mudará a construção civil
Imagem: designbuildexpo.com.au

3. A forma de fazer negócios

Nós já sabemos que dados são o ouro da era da informática. Com dados dos clientes, a IA é capaz de avaliar o que eles desejam, permitindo criar experiências personalizadas. Assim, o processo de compreensão das novas tendências é muito mais rápido e pode ser feito em tempo real.

4. Realização de projetos e impressão 3D inteligente

Pode parecer muito assustador por enquanto, mas é bem provável que, no futuro, criar projetos seja muito mais fácil. Um sistema baseado em inteligência artificial pode coletar os dados do cliente, fazer um projeto otimizado e, quem sabe, até enviar robôs para a construção.

Se você achou que isso foi longe demais, vale lembrar que muitas casas já são construídas com impressoras 3D, ou seja, robôs. O processo envolve uma quantidade de pessoas muito menor que o convencional e é feito em um tempo mínimo.

IA mudará a construção civil
Imagem: ukconstructionmedia.co.uk

5. Gerenciamento de projetos

Gerenciar um projeto pode ser um processo árduo. É preciso que todos os fatores sejam considerados e estejam alinhados para que tudo ocorra no tempo adequado. Porém, enquanto pode ser difícil para um humano lidar com isso, a inteligência artificial pode fazer o procedimento sem muito esforço. Espera-se que os futuros programas de construção sejam capazes de gerenciar todo o projeto, fornecendo o risco, a capacidade de construção e várias soluções técnicas.

IA mudará a construção civil
Imagem: 7wdata.be

Fonte: engenharia360.com

Referências: Interesting EngineeringMC Kinsey & CompanyGenieBelt.

Por Larissa Fereguetti

Redução de Custos: Como comparar sistemas construtivos

Análise de sistemas deve considerar também o tempo de cronograma de obras

Nos sistemas construtivos devem ser considerados valores com mão de obras e matéria prima Créditos: Shutterstock

A etapa de projeto de qualquer obra envolve tomada de decisões que vão traçar todo o caminho da construção e determinar os resultados que podem ser alcançados com ela. Nesse primeiro passo, uma das necessidades é realizar comparativos de sistemas construtivos.

Comparar sistemas construtivos é fundamental para conseguir uma redução de custos de forma responsável, considerando todos os aspectos de cada um dos sistemas, como: durabilidade, desempenho, mão de obra e matéria-prima. Mas, antes de verificar esses itens, é necessário atestar que o sistema construtivo comparado siga os requisitos presentes nas suas Normas Regulamentadoras (NR), desenvolvidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Uma das recentes publicações normativas da ABNT é a NBR 15.575:2013 – Edificações Habitacionais. Essa norma define os requisitos de acústica, conforto e segurança que um empreendimento habitacional deve apresentar. Na realização do projeto é importante considerar essa norma para realizar a edificação e, consequentemente, atrelar os sistemas construtivos a essa necessidade.

Como analisar os sistemas

Ultimamente, o mercado de construção civil tem ganhado várias alternativas para os seus processos construtivos, incluindo o uso da tecnologia. Com a chegada de construtechs – startups especializadas no desenvolvimento de soluções para a construção civil – as novidades aumentaram.

No entanto, para utilizar qualquer tipo de solução é preciso ter garantias de que aquele sistema é válido e além de apresentar os resultados que ele expõe, também atende às questões relacionadas à segurança.

É preciso verificar com os fabricantes quais obras já implantaram o seu tipo de sistema a fim de conhecer modelos semelhantes e seus resultados. Também é preciso verificar minuciosamente as fichas técnicas dessas soluções e verificar se foram realizados testes para controle de qualidade.

Análise de custos

Em qualquer tipo de sistema que for implantado em uma obra é preciso considerar e analisar alguns aspectos, como:

– Será preciso gastar com alguma questão logística? Como construções provisórias no canteiro de obras?

– Será preciso comprar algum equipamento ou locar? Ferramentas?

– Será preciso instalar alguma fábrica para produzir o material?

– A mão de obra precisará ser capacitada ou já é especializada?

– Existe assistência técnica após a obra pronta? Esse custo está incluso?

O modelo mais comum realizado pelas construtoras é por meio de uma planilha que relaciona os custos de cada sistema construtivo considerando seu valor unitário e o valor da mão de obra.

Há que se considerar que, dependendo do tipo de sistema, ele pode reduzir o cronograma de obras e, consequentemente, diminuir os custos com mão de obra e contas básicas no canteiro de obras.

Também existem sistemas que, inicialmente, podem ter uma matéria prima mais cara, mas que podem gerar uma economia seja por proporcionar mais agilidade à obra ou por depender de menos mão de obra em canteiro. Por isso, fazer todas essas contas ajuda a tomar a decisão mais assertiva.

Fonte: www.mapadaobra.com.br