Arquivo diários:7 de junho de 2019

Small is beatiful (ou o que dá prá pagar). Bem-vindo ao “co-living”

Em um prédio de 243 micro apartamentos na Vila Olímpia, 350 jovens experimentam um novo jeito de morar.

Os apartamentos de 23m² a 44m² são decorados, mas nenhum tem sala de estar, de jantar, ou lavanderia: tudo é compartilhado na área comum do prédio, que conta ainda com lounges, academia, espaço de coworking, wifi, tv a cabo e porteiro 24 horas.

A convivência nas áreas comuns é tanta que de lá já saiu até uma empresa de audiovisual – fundada por dois moradores que se conheceram em evento de networking.

O Kasa 99 foi inaugurado pela Gamaro há menos de um ano e está com 90% dos apartamentos locados (a R$ 3.050 por mês). É um dos primeiros empreendimentos coliving no Brasil – um jeito de morar que cada vez mais atrai os millennials no mundo todo.

Moradias comunitárias não são exatamente uma novidade: que o digam os hippies e as repúblicas estudantis. Mas agora, o mercado imobiliário está transformando a coisa num produto.

A bem da verdade, ainda não está claro o quanto os co-livings refletem simplesmente a busca por um estilo de vida mais despojado e ‘cool’ – ou apenas a falta de recursos dos millennials, que os empurra para os imóveis compactos.

Nos EUA, com os preços dos imóveis nas alturas e os jovens adiando a formação de famílias, a Cushman & Wakefield (http://www.cushmanwakefield.com/en/research-and-insight/2019/coliving-report) estima que a oferta de unidades de co-living deve triplicar nos próximos dois ou três anos.

O próprio WeWork já capturou a tendência e adaptou seu modelo para o mercado residencial criando a WeLive, que já está em Nova York e Crystal City, na Virgínia, a cidade que vai receber o segundo HQ da Amazon. Seattle é o próximo destino.

Outra startup desbravando o nicho é a Ollie, mais upmarket e cujos serviços se parecem mais com uma hotelaria de longa permanência – o inquilino não precisa levar nem lençol ou xampu. A maioria dessas empresas só opera os empreendimentos.

Em São Paulo, esse tipo de prédio começou a aparecer com mais força há cerca de cinco anos, após mudanças no plano diretor que estimularam o adensamento de prédios em terrenos localizados próximos ao metrô e a corredores de ônibus – dispensando a garagem.

Na Vitacon, o CEO Alexandre Frankel viu aí uma oportunidade – e levou o conceito de adensamento ao extremo, com studios a partir de 10m² (Ele jura que as condições de sobrevivência são humanas.)

Enquanto o mercado olhava pra longe em busca de amplos terrenos, a Vitacon se voltou para áreas centrais, próximas a centros comerciais, universidades e linhas de metrô. Para o negócio ficar de pé, o jeito foi encolher o apê.

Na última década, a área útil média dos lançamentos em São Paulo caiu de 107m² para 69m², segundo dados do Grupo ZAP. O segmento de apartamentos compactos foi o único que se mostrou resiliente durante a crise. Apartamentos de até 30m² já representam 14% dos lançamentos – mais que o dobro de três anos antes.

A Vitacon nasceu incorporando para vender, mas cada vez foca menos em bricks e mais em bytes.

Fonte: incorporacaoimobiliaria.com

6 Apartamentos de 30 m² com ótimas ideias de decoração


Dicas para aproveitar a pouca metragem do imóvel, integrando ou não os ambientes

Cabe uma vida inteira em 30 metros quadrados. Duvida? Trazemos a seguir 6 projetos que aproveitam com sabedoria a pouca metragem e dão algumas ideias de decoração, seja você um fã de ambientes integrados ou do mínimo de privacidade. Para conferir mais detalhes de cada projeto, basta clicar no título ou na foto.

1. PRIVACIDADE COM COBOGÓ

Um apartamento pequeno que fosse aconchegante e se destacasse dos demais – essa foi a demanda para este imóvel de apenas 27 m² no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo. As profissionais do escritório TRIA Arquitetura utilizaram o cobogó para garantir a entrada de luz natural no imóvel, dando certa privacidade ao quarto, mas sem fechar completamente o ambiente.

projeto-tria-arquitetura-apartamento-studio (Foto: Alessandro Guimarães / Divulgação)

SALA E QUARTO | Mesa de centro da Oppa. Tapete da Tok & Stok. Base da cama que se estende como banco, de madeira freijó. Futon da Leroy Merlin. Ao fundo, atrás da cama, persianas da Dekora escondem a parede de vidro do banheiro
(Foto Alessandro Guimarães / Divulgação)

2. MÚLTIPLAS FUNÇÕES

Destinado para aluguel, este apê estúdio de 30 m², projetado por Leandro Neves, é inteiramente conectado. Isso significa que pode-se ver a luz do janelão, ao lado da cama, transbordar pela cozinha e banhar a sala no meio do caminho. Cores sóbrias dominam a construção e o destaque fica por conta das texturas. O aparador tem múltiplas funções, servindo de banco para a mesa, tendo gavetas para armazenamento de objetos e se estendendo até a estante ganhando ares de rack.

Os 30 m² são iluminados pelo janelão ao lado da cama. A luz transborda dali e chega até a cozinha em prisma (Foto: Divulgação)

Os 30 m² são iluminados pelo janelão ao lado da cama. A luz transborda dali e chega até a cozinha em prisma (Foto: Divulgação)

3. ESPAÇO 3 EM 1

Como parte de um projeto que visa mostrar como o design pode aproveitar ao máximo um espaço pequeno, o arquiteto canadense Graham Hill montou um apartamento de 33 m² que “funciona como se tivesse o dobro do tamanho”. O mesmo espaço que serve como living ou sala de jantar também se transforma em um quarto. A cama desce de um armazenamento na parede, enquanto portas dos dois lados podem ser abertas para revelar criados-mudos.

Apartamento LifeEdited2 (Foto: Divulgação)

Os assentos podem ser direcionados à televisão, formando uma sala de TV, ou então reorganizados ao redor da mesa, para formar um espaço de jantar. A mesa de madeira pode se extender e acolher até 10 pessoas
(Foto: Divulgação)

4. MÓVEIS COMO DIVISÓRIAS

Quando escolheu viver em um apartamento de apenas 33 m², o jovem morador buscava funcionalidade em cada espaço, para isso, procurou o escritório Sesso & Dalanezi. A grande aposta dos profissionais foi no uso da marcenaria para delimitar os espaços da sala, cozinha e quarto, e aproveitar cada cantinho do apartamento. O estúdio tem ainda uma varanda, que foi pensada para receber os amigos com mesa de jantar e sofá.

projeto-sesso-dalanezi (Foto: Mariana Orsi/Divulgação)

AMBIENTE ÚNICO | O apartamento é composto por um espaço integrado. Ao fundo, varanda foi pensada para receber os amigos. Cortina da Sol & Art (Foto Mariana Orsi/Divulgação) (Foto: Mariana Orsi/Divulgação)

5. MARCENARIA PLANEJADA

Transformar 30 m² em uma casa completa exigiu planejamento por parte da arquiteta Ana Cecília Toscano e da designer de interiores Flávia Lauzana. Sala de estar, quarto, cozinha e banheiro foram todos encaixados na planta, com circulação livre e confortável. Onde há espaço, existe um armário: gavetões sob a cama guardam o enxoval, e um alçapão ainda armazena um colchão extra.

A cozinha é pequena, mas completa. Cooktop, forno e microondas dividem espaço com as prateleiras suspensas e seu vitrô móvel. Na parte de baixo, um armário guarda os utensílios do dia a dia  (Foto: Evelyn Müller/Divulgação )

A cozinha é pequena, mas completa. Cooktop, forno e microondas dividem espaço com as prateleiras suspensas e seu vitrô móvel. Na parte de baixo, um armário guarda os utensílios do dia a dia (Foto: Evelyn Müller/Divulgação )

6. ESPELHOS POR TODO LADO

Neste apartamento de 30 m² em Santo Amaro, São Paulo, a primeira decisão foi demolir a parede que separava o quarto e a sala, tornando o dormitório e a área social integrados. O sofá-cama posicionado em frente à cama permite receber amigos e familiares e o espaço extra da cama tipo baú ajuda a organizar o espaço do dormitório. Para trazer a sensação de amplitude, o armário e a parede ao lado da cama foi toda revestida com espelhos.

A cama, com almofadas da Codex, tem cabeceira da Crezildo Couros (Foto:  Mariana Orsi/Divulgação)

A cama, com almofadas da Codex, tem cabeceira da Crezildo Couros
(Foto: Mariana Orsi/Divulgação)

Fonte: revistacasaejardim.globo.com