Arquivo diários:28 de novembro de 2019

Diretora da DNAA Promoções e Eventos, Rosane Oliveira destaca as melhores estratégias nos lançamentos imobiliários

Para a empresária e coach, anúncios nos jornais, TV, panfletos entregues nos faróis, já não chamam a atenção do potencial comprador.

Com uma carreira brilhante no mercado imobiliário e quase 24 anos de experiência, Rosane Oliveira comanda a DNAA Promoções e Eventos, que é especializada em campanhas como o objetivo de atrair  potenciais compradores ao stand.  A empreendedora, empresária, coach e palestrante pontua a importância de uma boa estratégia no lançamento de uma campanha.

“Aos poucos, o mercado brasileiro de marketing promocional começa a exercer grande destaque nos budgets das empresas de construção e incorporação. Isso se deveu ao elevado número de empreendimentos lançados, passamos por uma grande crise no mercado, mas já está reagindo, houve inúmeros lançamentos neste segundo semestre e a as ações foram o grande diferencial competitivo. Anúncios nos jornais, TV, panfletos, entregues nos faróis já não chamam a atenção. Além destas, notamos que há uma onda que direciona os ventos para uma “publicidade” mais agressiva, uma “promoção” onde o potencial comprador se sinta motivado a ir ao stand de vendas, se familiarizar com o produto e viver por alguns momentos o que ele poderá ter quando o empreendimento ficar pronto. Cada lançamento tem seu público, cabendo com isto uma promoção cada vez mais personificada”, destaca. 

A DNAA é uma agência que busca em 100% das suas ações realizar eventos que possam alavancar as vendas de seus clientes. 

Segundo Rosane Oliveira, conhecer os hábitos de consumo e o perfil comportamental do público-alvo, atrelado aos recursos disponíveis para a criação da promoção e dos eventos estão se tornando mais freqüentes nos planos de comunicação para o lançamento de um novo produto. Saber tudo o que está contido no produto, ou seja, todos os diferenciais é essencial para atrair este novo comprador, seja ele um investidor potencial ou mesmo uma família que deseja realizar o sonho da casa própria. Por isso, o marketing deve ser temperado por uma verdadeira obsessão por detalhes, para encantar e surpreender.

Maquetes portáteis, Tapume 3D, Animação em 3D, Megastore de imóveis, Voo virtual, Megashows são algumas opções que as empresas de comunicação adotam para que a promoção se torne atrativa.

As construtoras juntamente com suas agências estão adotando estratégias cada vez mais eficazes para conquistar uma visita no plantão de vendas. As ações acima são apenas um pequeno exemplo do que se pode proporcionar ao futuro comprador.

DNAA Promoções e Eventos 

Com olhar crítico de quem passou pelos dois lados, tanto o de vendas de imóveis quanto o promocional, a agência tem em seu portfólio empresas construtoras de porte e relevância no mercado. Presidida por Rosane Oliveira, com quase 24 anos de experiência no mercado imobiliário, conquista a cada dia novos clientes  como Paulo Mauro, Arquiplan, Trisul, Concivil, entre outras. Formada por uma equipe multidisciplinar, o grande objetivo é colocar à disposição do cliente o conceito de uma agência que oferece o “algo” a mais, trazendo atendimento diferenciado,  agilidade, custo beneficio e novas soluções e conceitos aos seus clientes. Com uma visão de comunicação voltada a promoções e eventos, a DNAA oferece serviços de promoção e eventos, marketing de relacionamento, dentre outros.

Fonte: https://exame.abril.com.br/

Caixa vai retirar indexadores do crédito imobiliário

Medida está prevista para 2020 e torna as prestações da casa própria fixas da primeira até a última parcela

A Caixa Econômica Federal vai adotar o crédito habitacional pré-fixado a partir de 2020. Significa que o banco quer eliminar indexadores das prestações da casa própria, tornando-as fixas desde a primeira até a última parcela. A mudança deve ocorrer ainda no primeiro semestre do próximo ano, provavelmente a partir de março. “No ano que vem queremos lançar o crédito imobiliário sem IPCA e sem TR. Ou seja, sem nenhum tipo de correção. Quando você lança este tipo de financiamento é o mais fácil para poder securitizar e o mais fácil de poder, como cliente, comparar. Quando você tem uma taxa fixa, é muito mais claro para a sociedade”, diz o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O anúncio ocorreu em palestra do dirigente na FGV EPGE (Escola Brasileira de Economia e Finanças), no final do mês de outubro. Para mudar o formato de financiamento imobiliário é necessário atrelá-lo à securitização da carteira de créditos imobiliários e manter um quadro de inflação controlada por longo prazo. Na securitização, o banco repassa o risco de calote para investidores, através de títulos lançados no mercado financeiro. A Caixa estima que com essa modalidade poderá alavancar até R$ 300 bilhões para sua carteira imobiliária. Para os demais bancos, no entanto, o governo federal primeiro deveria regulamentar o financiamento pré-fixado. 

Para aderir à modalidade, as instituições financeiras privadas também sugerem que os contratos com prestações pré-fixadas sejam no máximo de 5 anos ou que possam ser revistos de 5 anos em 5 anos. Pedro Guimarães, porém, entende que, quando a Caixa lançar seu modelo, os demais bancos irão segui-la. “A minha impressão é que os demais bancos virão também para este sistema”, avalia. Segundo Guimarães, o momento econômico do país é propício a quem deseja adquirir a casa própria. Ele justifica dizendo que o crédito imobiliário está aquecido e que os preços dos imóveis estão convidativos. “Temos redução de taxa de juros, estamos retomando o crescimento, existe crédito imobiliário disponível e os preços dos imóveis ainda não tiveram alta significativa”, diagnostica.

Em 2019, Caixa já reduziu três vezes as taxas para aquisição da casa própria

Só em 2019, a Caixa já reduziu três vezes as taxas para aquisição da casa própria. Nos financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE), a menor taxa passou de 8,5% ao ano para 7,5% ao ano e a maior de 9,75% ao ano para 9,5% ao ano. Antes, o banco havia criado a linha de financiamento imobiliário com saldo corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Nesse modelo, a taxa mínima é o IPCA mais 2,95% ao ano e a máxima o IPCA mais 4,95% ao ano. Também tiveram quedas as cobranças de juros do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Nas duas modalidades, a taxa efetiva mínima será a soma da Taxa Referencial (TR) mais juros que variam de 6,75% ao ano a 8,5% ao ano. 

Entrevistado
Reportagem com base na palestra do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, na FGV EPGE (Escola Brasileira de Economia e Finanças)

Contato: impre​nsa@ca​ixa.gov.br

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330

Fonte: https://www.cimentoitambe.com.br/