Arquivo diários:3 de março de 2020

Dicas para quem quer morar sozinho em São Paulo

Morar sozinho, principalmente se for a primeira vez, já é um desafio.

Viver essa experiência em São Paulo exige ainda mais planejamento e certeza ao decidir morar em um apartamento em SP, uma vez que é a maior cidade do Brasil.

De 2005 a 2015, o número de pessoas que moram sozinhas no país aumentou de 10,4% para 14,6%, segundo a Síntese de Indicadores Sociais divulgada pelo IBGE.

O perfil e a faixa etária das pessoas que moram sozinhas são diferentes. A pesquisa mostrou que em relação aos jovens de 25 a 35 anos, o número subiu de 21,7% para 25,3%. Já o grupo de pessoas com mais de 50 anos subiu de 57,3% para 63,7%.

Os motivos para essa escolha também variam. Seja por conquistar a independência financeira e sair da casa dos pais ou mudar de cidade para estudar, morar sozinho em apartamentos em São Paulo não é tão simples.

Por isso, confira algumas dicas para morar na grande metrópole:

Conheça a cidade

De acordo com o IBGE, a cidade de São Paulo possui cerca de 12,8 milhões de habitantes. Assim, a primeira dica para quem está pensando em se mudar para um apartamento em São Paulo é conhecer o município.

Visitar o local, analisar o dia a dia da cidade que não dorme é essencial antes de fazer as malas. Para conhecer melhor, pedir indicações, recomendações e conselhos, a você pode conversar com algum conhecido que more na região.

Faça o planejamento financeiro

Para você não ter problemas com dívidas, é importante ter um planejamento financeiro ao morar sozinho. Por isso, não leve em conta apenas o preço dos apartamentos à venda, mas também os gastos com alimentação, transporte, conta de água, luz, entre outras despesas.

A decoração deixa o apartamento com a cara do morador, mas gera custos. Para não pesar no bolso, é recomendado comprar um pouco de cada vez. Também se organize para não esquecer de pagar nenhuma conta.

Prefira se deslocar menos

Mesmo se você ainda não mora em São Paulo, com certeza sabe que o trânsito é uma das grandes características. Para evitar passar horas no transporte, prefira deslocamentos menores.

O deslocamento pode ser facilitado se você morar em um apartamento no centro de SP e trabalhar ou estudar próximo à essa região. A localização é importante para facilitar a rotina e aumentar a qualidade de vida.

 A cidade conta com vários bairros ótimos para morar, pesquise apartamentos na Zona Oeste ou em outra região que for melhor para as suas necessidades.

Cuide da casa

Morar sozinho em um apartamento Studio no Centro de SP ou em qualquer outro lugar exige responsabilidade, uma vez que você que terá de arrumar e limpar a sua casa. Para que você tenha tempo de fazer tudo o que precisa, é importante organizar o seu dia a dia.

Assim, verifique quais são as tarefas domésticas que você precisa fazer no dia para não deixar a sujeira acumular. Cozinhar é outra preocupação que as pessoas que moram sozinhas possuem.

A cidade possui muitos restaurantes e mercados, mas não tem como fugir da preparação da comida. Por isso, a organização e planejamento é muito importante.

Fonte: https://www.odebate.com.br/

Década nova, Investimento novo

Crédito: Dênio Simões / Agência Brasília

Antes de 2020 começar havia um grande questionamento: era ou não início de uma nova década?

A pergunta repercutiu em canais on e off-line e a Organização Internacional de Padronização (ISO, em inglês) decidiu se posicionar. Para a entidade, que considera o calendário gregoriano, uma década é quando o número formado é completamente divisível por 10. Então, se de 0 a 9 são 10 anos, é possível afirmar, sim, que 2020 marca um recomeço.

Essa nova fase pode ser extremamente importante na numerologia e no misticismo, mas não é nada diferente para dados tangentes e concretos que já se apresentaram. Um fato para exemplificar: o mercado imobiliário está se reerguendo após um tempo em recessão. Então, o que 2020 traz? Um momento de deleite para as empresas do ramo de imóveis e também para os investidores e compradores, que podem esperar por boas notícias nos próximos meses.

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o Grupo Zap divulgaram no início deste ano que 2019 foi marcado pela retomada da construção civil, subindo 2% após cinco anos consecutivos em queda. A expectativa é que o crescimento seja de 3% em 2020. A mesma pesquisa apontou ainda que o segundo e o terceiro trimestre do ano passado apresentaram um crescimento significativo de potenciais compradores de imóveis. 

As novidades imobiliárias também estão em alta. Uma das entidades que afirma isso é a Brain Inteligência Estratégica, empresa de pesquisa e consultoria da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), que aponta que haverá menor volume de imóveis em estoque, ou seja, mais opções de lançamento de empreendimentos, o que potencializa as entregas de edifícios no mercado e aumenta as possibilidades de compra.

Os juros em queda também são bons ventos que 2020 traz consigo. Em 2019, o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, mais conhecido como taxa Selic, que é a taxa básica de juros, atingiu a mínima histórica, 4,5%, o que fez com que os bancos reduzissem seus próprios encargos. Essa queda impactou diretamente na confiança do mercado e nos financiamentos a longo prazo, como o crédito imobiliário. Para esses casos, a Taxa Referencial de financiamento imobiliário está em torno de 7%, o que na prática ajuda muito quem tem o sonho de ter a casa própria ou planeja investir na renda por meio de imóveis.

A Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) aponta que até o último trimestre de 2019 mais de 62 bilhões de reais foram movimentados no setor da construção civil graças às mais de 200 mil unidades financiadas. Ainda, o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil teve um aumento de 1,3% no terceiro trimestre de 2019, sendo duas vezes maior que o PIB Brasil (0,6%).

Com todas essas informações dispostas em centenas de sites de fundações e entidades que se dedicam a estudar o mercado imobiliário e a economia, não é possível dizer que 2020 não será um bom ano. A nova década chegou marcando uma nova fase e o que se pode esperar desse ano, ao menos no setor de imóveis, é que o futuro é promissor para quem investe e para quem sonha em comprar sua própria residência.

Alysson Sanches

Especialista em gestão de incorporação e construções imobiliárias pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e diretor da GT Buiding.

Fonte: https://diariodocomercio.com.br/