Arquivo diários:3 de abril de 2020

COVID-19: Home Office se torna o modelo de trabalho mais utilizado. Como conciliar com a vida familiar?

Em estado de quarentena, o trabalho passa a ser Home Office, deixando assim pais e filhos mais próximos, mas como conciliar com a vida familiar?

Após a Organização Mundial de Saúde decretar pandemia devido ao novo coronavírus (COVID-19), a orientação que foi divulgada é de que a população evite sair de casa e encarar aglomerações. Em diversos estados do país, governadores decretaram quarentena por duas semanas para evitar a proliferação dos vírus.

Devido aos decretos realizados, muitas empresas, comércios e até instituições educacionais tiveram que suspender suas atividades presenciais. Para não ficarem no prejuízo, empresários optaram pelo adiantamento das férias coletivas de seus funcionários e outras pelo modelo de Home Office, no qual o empregado realiza a sua carga horária normalmente, só que em sua casa.

Muitas escolas tiveram que fechar suas portas por tempo indeterminado, fazendo assim, com que pais e filhos fiquem em isolamento social. Agora muitos trabalhadores possuem o desafio de conciliar o trabalho com os cuidados com a família.

Para Flávio Thenorio, Presidente da Arena Baby – rede de franquia de brechó infantil, para ter uma rotina de trabalho organizada em casa é importante elaborar uma programação para começar as atividades, para que assim, consiga realizar todas as pendências e não ficar sobrecarregado. “Tomo um belo café da manhã para iniciar as atividades, depois procuro elencar quais são as prioridades e fazer uma agenda para ter maior eficiência. Os principais desafios com o Home Office no período de quarentena é o fato de estarem todos em casa, pois é inevitável a interação com todos”, comenta

Já para Marco Giroto, Fundador da SuperGeeks, primeira e maior escola de Programação e Robótica (Ciência da Computação) para crianças e adolescentes do Brasil, para o trabalho nessa modalidade ser bem executado, ele necessita que a pessoa tenha muita disciplina e acesso a um ambiente calmo, que comporte o modelo de trabalho. “O ideal é ter um lugar exclusivo para o Home Office, de preferência um escritório dentro de casa, se isso não for possível, criar um espaço compartilhado, mas que não seja perto de lugares com muita passagem de pessoas ou perto de distrações”, comenta Marco.

A Analista de Marketing da Seguralta, rede de corretora de seguros, Daniele Carareto, conta que o seu ambiente para o Home Office está sendo bem setorizado e organizado. “Anoto tudo que preciso fazer, faço listas e divido as minhas tarefas em categorias. Só inicio uma nova tarefa quando termino de fazer a anterior, já que executar mais de uma tarefa ao mesmo tempo, dá a sensação de que nada será finalizado”, comenta sobre como realiza a sua organização para o trabalho.

Para a empresária Julie Ane Guimarães Ferreira, Diretora de Novos Negócios da Neo Delivery, franquia de aplicativo de entrega via moto frete, o Home Office se tornou um desafio, já que possui uma criança pequena em casa. Ela fala sobre como a rotina da família mudou drasticamente com os decretos de quarentena. “Enquanto realizamos reuniões (videoconferências), tocamos e-mails, alternamos com brincadeiras, troca de fraldas e fazemos a sua alimentação, tudo isso, sem perder o foco do trabalho e o crescimento da nossa filha”, afirma Julie Ane.

O empreendedor Mario Gasperini, CEO da Primicia, empresa de varejo no setor de artigos de turismo, que tem duas crianças pequenas em casa, fala sobre como é a conciliação do Home Office com a educação das crianças nesse período de quarentena. “Dividimos as tarefas domésticas, inclusive atribuindo a elas tarefas mais fáceis de serem realizadas. Reservamos um horário fixo destinado para os estudos e para as participações das vídeo aulas do colégio. Desse modo, elas compreendem que enquanto trabalhamos, elas têm o momento delas, respeitando o nosso trabalho”, comenta Mario.

Para Eder Oliveira, Diretor de Expansão da MTCred, rede de serviços de crédito, o Home Office em tempos de quarentena é um grande desafio para todos aqueles que possuem filhos pequenos em casa e temos que fazê-los compreender que neste momento os pais estão ocupados trabalhando, mesmo estando em casa. “Para os pais que possuem filhos com idade de entendimento, esse momento sem dúvida é uma grande oportunidade de demonstrar o valor do trabalho, da disciplina e da dedicação e principalmente ter amor pelo que faz”.

Rafael Matos, Sócio Fundador do N1 Chicken, rede de franquia de delivery de frango frito, informou que liberou todos os colaboradores de sua franqueadora para trabalhem em Home Office, mas antes forneceu um treinamento para que todos estivessem aptos a essa modalidade de trabalho. “O conceito de Home Office ainda é muito novo para nós brasileiros, mesmo sendo praticado por muitas empresas. Existe ainda questões a serem exploradas para manter e aumentar a produtividade da modalidade, como com certas ferramentas de comunicação, controle e execução de tarefas”, comenta Rafael.

Fonte: https://www.segs.com.br/

Moema: qualidade de vida e localização estratégica

Próximo ao Parque do Ibirapuera, o bairro foi o primeiro da cidade a contar com uma ciclofaixa

Parque do Ibirapuera
Parque do Ibirapuera é destaque entre as atrações de Moema. Foto: iStock
 
 

O bairro de Moema, que era oficialmente chamado de Indianópolis no passado, começou a crescer e ganhar notoriedade na década de 70, quando as construtoras pensaram em investir na região, nos terrenos planos e nos grandes lotes de baixo custo. Os investimentos na construção de moradia atraíram outros segmentos, como o comércio, com a inauguração do Shopping Ibirapuera, em 1976.

Hoje o distrito faz parte da lista dos bairros nobres de São Paulo e inclusive já foi considerado como o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade, maior até do que o da Noruega. O comércio e a estrutura das ruas que levam nomes de pássaros ou de substantivos indígenas diferenciam o bairro.

Preço

O valor atual do m² de um imóvel usado em Moema vai de R$ 6.800 a R$ 7.000, segundo a Pesquisa de Mercado da Capital do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP). No caso de aluguel, o m² chega a custar R$ 43, de acordo com o Storia Imóveis.

Mobilidade

Em meados de 1880, a chegada de uma pequena ferrovia para bondes elétricos da Light and Power Company facilitou a locomoção na região. Hoje, a inauguração quase total da Linha 5 -Lilás do metrô conecta, por meio das estações Moema e Eucaliptos, o morador ou frequentador do bairro à zona sul (baldeação com a linha de trem 9- Esmeralda) e a região da Paulista (Linha 2-Verde e Linha 1-Azul). Outra grande vantagem do bairro são as ciclovias e ciclofaixas. Moema foi o primeiro distrito da cidade de São Paulo a contar com uma ciclofaixa. Por ser uma região plana, as pessoas são privilegiados ao transitar de bicicleta, de patinete elétrico ou até mesmo a pé pelas avenidas Iraí, Aratãs, Pavão e Rouxinol.

Educação

Em Moema há unidades prestigiadas de ensino particular e bilíngue, como o Colégio Maple Bear, Be living, Twice, Play Care e o My Gym. E os tradicionais Colégio Itatiaia e o Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida.

Existem também instituições de ensino público, como a Escola Municipal Educação Infantil Prof. Ignácio Henrique Romero (Alameda Jauaperi, 1639), a EMEI Dona Anita Costa (Alameda dos Jurupis, 254) e o Centro de Educação Infantil Diret Indianópolis (Alameda Irae, 35). Além da Escola Estadual César Martínez (Alameda Iraé, 55) e a Escola Estadual Prof. Napoleão de Carvalho Freire (Rua Itaúna, 815).

Saúde

O morador de Moema pode contar com o Hospital Alvorada para fazer tratamentos particulares ou utilizar o pronto-socorro. Também existem unidades hospitalares nos bairros bem próximos, como o Hospital da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (IAMSPE) e o Hospital Santa Paula. O serviço público oferece a Unidade Básica de Saúde de Indianópolis Dr. Sigmund Freud.

Lazer

Por ficar muito próximo ao Parque do Ibirapuera, muitas vezes o local é a opção de lazer dos moradores do bairro, mas existem outras atrações na região, como o Parque da Bicicleta (Alameda Iraé, 35). Em seus 44.545 m² de área verde, é possível fazer outras coisas além de andar de bicicleta. A pista atende também aos usuários de patins e skate, além de oferecer uma academia ao ar livre e espaço para caminhadas. O parque faz parte de um complexo que reúne também a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação (SEME) e o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP). Para prática esportiva tem também os tradicionais Clube Atlético Monte Líbano (Avenida República do Líbano, 2267) e o Esporte Clube Sírio (Avenida Indianópolis, 1192).

O comércio de rua na região também é atração, principalmente no lado das ruas com nome de pássaros, onde é possível encontrar lojas de grife como a Bo.bô, os outlets da Jogê e da Lacoste, entre outras.

Talvez a rua mais famosa do distrito seja a Normandia, não só pelas lojas famosas, como a L’Occitane, a outlet da Uncle K, pela sorveteria Freddo ou pelo restaurante Phillipe, mas principalmente pela decoração de Natal, que recebe muitos turistas no final do ano.

A Feira da Arte de Moema, na Praça da Nossa Senhora Aparecida, reúne artesãos com diversos trabalhos. Em termos de atrações culturais, o bairro também abriga a Livraria da Vila (Avenida Moema, 493), a Toca da Leitura (Rua Canário, 1035), o Sebo Casa Puebla (Alameda dos Jurupis, 1256) e a casa de jazz Bourbon Street (Rua dos Chanés, 127).

Gastronomia

Quem frequenta Moema pode enfrentar problemas de indecisão ao escolher o local para comer e beber. Há diversas opções de restaurantes, bares e lanchonetes na região, lugares tradicionais e conhecidos. A alameda dos Arapanés oferece uma variedade deles, como o Aoyama, Stop Dog, Koban, Tony Roma’s, Burguer Lab Experience e Applebee’s.

As porções de pastéis e a cerveja gelada do famoso Bar do Giba chamam atenção de um grande público que, nos finais de semana de calor, lota as calçadas do local. E é em outro tradicional boteco, no Bar do Alemão, que alguns pratos típicos da Alemanha fazem sucesso, além do brasileiro bife à parmegiana.

Fonte: https://imoveis.estadao.com.br/