Arquivo diários:7 de maio de 2020

Mercado imobiliário: Um negócio de confiança

“Quem compra terra não erra” e “tijolo não enferruja” são algumas das várias frases que se ouve quando o assunto é investimento em produtos imobiliários, sejam eles lotes, casas, apartamentos ou, mais recentemente, fundos imobiliários. E isso se justifica por inúmeras razões, uma delas é a materialidade do bem, ou seja, é o fato do imóvel ser algo físico, com a possibilidade de se ver e tocar, o que representa uma segurança para o comprador ou investidor.

Porém, existem outros fatores que fazem o mercado imobiliário – e seus produtos – um negócio confiável. Todos nós necessitamos de um local para morar, um local para trabalhar, para fazer as compras do mês, banco, academia, clube do bairro, etc. Em todas as atividades da nossa vida, há sempre um imóvel envolvido.

Segundo números do IBGE, existe um déficit habitacional no Brasil de 5,5 milhões de residências. Esse fato, somado ao aumento populacional, gera um aumento consistente na busca por imóveis. O efeito desse aumento da procura é uma valorização dos imóveis existentes, pois as empresas do setor não têm capacidade de produção para atender toda a demanda.

Além disso, a crise provocada pelo novo coronavírus acaba por promover cenários de oportunidades para aqueles que desejam adquirir um ativo imobiliário. Aumento do crédito para financiamento e diminuição ou congelamento das taxas de juros são algumas das medidas à disposição dos investidores.

Reflexo disso é o resultado do Índice de Confiança da Construção, da Fundação Getúlio Vargas, que aponta que a média de confiabilidade no mercado imobiliário no primeiro trimestre de 2020 é maior do que a média do quarto trimestre de 2019. Em outras palavras, mesmo com o alastramento da Covid-19, a confiança e a procura por ativos sólidos e confiáveis aumentaram em relação ao período em que a pandemia nem ao menos existia.

Esses dados confirmam o que a história já comprovou: o mercado imobiliário é estável e resistente às crises e, apesar delas, consegue se mostrar confiável ao ponto de se reafirmar o ditado de que quem investe nele não erra.

Fonte: https://diariodegoias.com.br/

Márcio Moraes é Advogado especialista em Direito Público pela UCAM/RJ. Membro da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico da OAB-GO, coordenador do Fórum Permanente dos Advogados do SECOVI/GO e assessor jurídico da Associação dos Desenvolvedores Urbanos do Estado de Goiás e da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás – ADEMI Professor de Pós-graduação e palestrante.