Arquivo diários:12 de maio de 2020

Obras sustentáveis: o uso de tubos de papelão na construção civil

O avanço contínuo da tecnologia ocorre devido, principalmente, à demanda de satisfazer as necessidades de consumo da sociedade atual. No entanto, tal feito tem aumentado consideravelmente a exploração inadequada dos recursos naturais e a quantidade de resíduos existentes no meio ambiente. Nesse contexto, as ações humanas têm gerado grandes impactos ambientais que põem em risco tanto o meio ambiente quanto as gerações futuras.

Ao mesmo tempo, a crescente desigualdade social vem acentuando os problemas relacionados ao déficit habitacional. Boa parcela da sociedade com menor poder aquisitivo não possui pleno acesso à recursos básicos de infraestrutura, educação, saúde, segurança, entre outros serviços essenciais, e a causa disso está diretamente relacionada ao fato dessas pessoas habitarem moradias precárias ou não possuírem uma moradia.

Essas realidades mobilizam os diferentes setores da sociedade a buscarem caminhos alternativos para que, gradualmente, tais problemáticas sejam solucionadas.

Na indústria da construção, o uso do papel vem crescendo, aos poucos, devido a sua capacidade de ser reciclável, suas propriedades mecânicas para suportar cargas estruturais e sua acessibilidade – o Brasil produziu cerca de 15,8 milhões de toneladas de papel em 2018, segundo a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá). Assim, uma alternativa sustentável para substituir alguns dos materiais convencionais de construção, que, em geral, produzem muitos resíduos e não atendem as necessidades de baixo custo da população de classe pobre, é a utilização de tubos de papelão, os quais podem ter uma função estrutural dentro da edificação.

O arquiteto Shigeru Ban foi o pioneiro na utilização de tubos de papelão como estrutura de suas obras. Apesar de, desde 1950, o papelão já ser largamente utilizado como molde para colunas de concreto, Ban buscou novas formas de aplicação desse material em suas estruturas arquitetônicas. Em 1989, após estudos sobre a resistência dos tubos de papelão, o arquiteto utilizou, pela primeira vez, esse material com função estrutural em um caramanchão. Depois disso, Ban aplicou a estrutura em várias outras construções como abrigos, escolas, catedrais, etc.

Além do caráter sustentável, o interesse pelo papelão surge também devido ao fácil manuseio na montagem e desmontagem da estrutura, uma vez que é um sistema composto por encaixes e vínculos e não necessita de mão de obra especializada. Ademais, é válido ressaltar que, por ser um material de baixa densidade, não necessita de fundações muito profundas, o que favorece os aspectos de custo e tempo de obra.

No Brasil, o papelão não é utilizado como elemento estrutural ou de vedação, existindo poucas normas referentes a esse material no acervo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Os tubos de papelão são mais usado na construção civil como fôrmas para concretagem, sendo um modelo prático e leve, necessitando de pouco tempo e mão de obra para a sua utilização, aumentando com isso a produtividade da obra em questão.

Seguem alguns exemplos de construções que utilizam tubos de papelão como elemento estrutural:

Catedral temporária da cidade de Christchurch, Nova Zelândia, 2014:

Fonte: Prêmio Pritzker 2014: Novas fotos da Catedral de Papelão de Shigeru Ban na Nova Zelândia – ArchDaily Brasil.1
Fonte: Prêmio Pritzker 2014: Novas fotos da Catedral de Papelão de Shigeru Ban na Nova Zelândia – ArchDaily Brasil.2

Domus de papel, Japão, 1998:

Fonte: Tubos de Papelão: Arquitetura e Design – Slide Serve.³

Escola temporária em Hualin, China, 2008:

Fonte: Os projetos humanitários de Shigeru Ban – ArchDaily Brasil.4

Pavilhão da Copa do Mundo na Embaixada do Brasil em Tóquio, Japão, 2014:

Fonte: Shigeru Ban usa papelão no projeto do pavilhão da Copa em Tóquio – SustentArqui.5

Assim, apesar dos tubos de papelão ainda estarem em estado de teste, é possível dizer que esse material já pode ser utilizado em pequenas construções e em obras temporárias, como a escola primária de Hualin, na China, onde ocorreu um terremoto em 2008 que destruiu boa parte das construções da cidade. Com a regularização do uso dos tubos, o acesso à moradia digna para aqueles que não a possuem será facilitado, uma vez que o material é de baixo custo, acessível e de simples manuseio. Além disso, é composto de material reciclado, o que contribui para a redução na emissão de gases do efeito estufa, sendo uma alternativa sustentável na construção civil.

Fonte: https://civilizacaoengenheira.wordpress.com/

Por: Alana Maria Prado e Carolina de Souza Lopes

Empresa lança primeira rodada de meeting imobiliário online multimarcas

YMK irá reunir várias incorporadoras para apresentação de imóveis de 12 a 15 de maio

A residência nunca foi tão valorizada quanto nas últimas semanas. Com as medidas de isolamento social, pessoas de todas as classes sociais encontraram no lar o seu verdadeiro porto seguro. Não por acaso, muitas se questionam sobre a necessidade de um imóvel mais espaçoso, confortável e com um local adequado para a realização de home office, que deve se tornar novas proporções depois da pandemia. Após a freada busca a retomada deve incluir inclusive novos clientes, e opções não faltam. A fim de reunir as melhores oportunidades do mercado, o Grupo YMK, holding com unidades de negócios dedicadas à venda de imóveis, crédito e investimentos imobiliários, irá realizar a primeira rodada de meeting imobiliário online multimarcas. Os encontros acontecem de 12 a 15 de maio.

Ao todo, serão nove incorporadoras e construtoras participantes, ao longo da semana. Tudo será transmitido pelo canal do Grupo YMK no Youtube. Serão dois meetings por dia, o primeiro às 10h30 e o segundo às 16h. Uma empresa pela manhã e outra à tarde. Cada meeting durará em torno de 1h30. “O Grupo YMK apresentará a construtora, que assumirá a palavra e apresentará seus produtos, lançamentos, oportunidades, diferenciais. Ao final, abriremos para um bate papo virtual, onde corretores, profissionais e clientes poderão fazer perguntas por chat”, explica Daniel Magalhães, CEO do Grupo YMK. A expectativa é atingir amplamente os profissionais do mercado imobiliário, clientes e investidores.

Os meetings já são tradicionais no mercado imobiliário. Cada construtora organiza seu próprio evento, normalmente em um hotel, para apresentar seus produtos, lançamentos e perspectivas de mercado. Com a pandemia, o processo de digitalização se intensificou. “O diferencial da proposta da YMK é não apenas trazer o meeting para o ambiente digital, mas principalmente reunir várias empresas em um mesmo evento, promovendo uma experiência multimarca para o público”. Corretores de imóveis, profissionais da indústria da construção civil, compradores de imóveis, investidores imobiliários e outros interessados poderão acompanhar todas as novidades das marcas sem sair de casa.

Apenas imóveis novos, entre lançamentos e estoques (prontos ou em construção), serão apresentados. O objetivo da rodada de meeting é preparar melhor o corretor de imóveis para, conhecendo melhor os produtos e diferenciais, poder vender mais e melhor. “No entanto, como estaremos na internet, não há impedimento do cliente final participar também, ou mesmo, o corretor, levar “online” um cliente dele para ouvir diretamente a construtora e comprar com ele”, esclarece Magalhães.

As expectativas são altas. Mesmo a pandemia tendo adiado os planos de compras de muitos clientes até o cenário econômico diminuir as incertezas, muitos investidores profissionais entendem que crise é sinônimo de oportunidade e estão saindo às compras. “O mercado imobiliário continua sendo um investimento seguro e que, em muitos cenários, alia segurança a altas rentabilidades, principalmente em tempos de juros baixos. Sendo assim, acreditamos que em pouco tempo retomaremos ao incrível crescimento que estávamos, já que muita gente irá preferir concentrar investimentos em ativos imóveis”, finaliza.

Serviço:

1ª Rodada Meeting Online Multimarcas do Mercado Imobiliário
De 12 a 15 de maio | Horários: 10h30 e 16h00
Inscrições: https://bit.ly/3b9hjY3

Fonte: https://www.segs.com.br/