Casas ecossustentáveis são construídas com materiais reciclados e captação de água da chuva em MT

As casas construídas em Chapada dos Guimarães contêm fossa ecológica, captação de água da chuva e reaproveitamento funcional de materiais.

Técnica da bioconstrução utiliza métodos que diminuem o impacto ambiental — Foto: Jeferson Lima/ Arquivo pessoal

Três casas ecossustentáveis foram construídas pelos moradores em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, utilizando métodos para diminuir o impacto ambiental. Os imóveis são feitos com materiais reciclados e até produzidos pelo mercado da construção civil com o conceito do ecológico.

A bioconstrução é um termo utilizado para referir as construções onde o objetivo principal é a preocupação ecológica desde a concepção da estrutura até na ocupação do imóvel. Além disso, os processos de infraestrutura também são sustentáveis.

Ginovan Paulo de Lima contou ao G1 que é bioconstrutor há mais de 25 anos e que construiu várias casas sustentáveis. Neste ano, ele já construiu dois imóveis a partir do conceito do ecologicamente correto. Usou na construção contêineres, telhado de fibras vegetais e madeiras de demolição.

As casas contêm fossa ecológica, captação de água da chuva e faz o reaproveitamento funcional de materiais.

 

O engenheiro ambiental Jefferson Lima também construiu uma casa que funciona como residência e agência de turismo. O imóvel pode ser visitado com agendamento. O projeto foi concluído em um ano e três meses.

Foram utilizados terra, bambu, areia, pedra canga, cimento em pequena quantidade, saco de malhas rasquel feito de polietileno de alta densidade para formar as paredes.

O modelo de construção ecossustentável é voltado para o reaproveitamento de materiais recicláveis e a eficiência energética, intuito principal. Os métodos são desenvolvidos com a prática do zero desperdício de materiais, zero produção de entulhos durante a construção e o acabamento.

 
Modelo de construção é direcionado para o reaproveitamento de materiais recicláveis e a eficiência energética — Foto: Gino Lima/Arquivo pessoal

 

Na infraestrutura da bioconstrução é comum o reaproveitamento da água da chuva e posteriormente a reutilização da água após o uso. Algumas estruturas são construídas como base para a instalação de placas solares e sistema de aquecimento térmico d’água para diminuir o consumo de energia elétrica.

A casa que o Jefferson construiu possui propriedade térmica cuja a temperatura interna se regula de acordo com a temperatura externa, propriedade acústica e tanque de evapotranspiração para a destinação correta dos efluentes. A construção conta com processos de menor consumo de materiais e reflorestamento da mata ciliar.

“Durante todo período de desenvolvimento da obra, muitas pessoas que passaram e participaram da construção ficaram interessadas. A perspectiva é muito boa, creio que teremos muitas bioconstruções pela região. As pessoas abrem um sorriso e perguntam como é feita. É positivo, podemos contribuir muito mais com a natureza, com esse tipo de construção”, destacou o engenheiro ambiental.

Tanto o engenheiro quanto o bioconstrutor se capacitaram com cursos e aprenderam técnicas, métodos e processos sustentáveis. Toda a mão de obra utilizada pelos bioconstrutores para desenvolver o projeto foi desenvolvida e testada por eles mesmos.

De acordo com os dois bioconstrutores, a casa ecossustentável pode ser mais barata. Cerca de 30% menor o valor em comparação com uma construção convencional de alvenaria. Porém, deve-se levar em conta vários fatores, como os materiais utilizados e a mão de obra.

Algumas casas são feitas com contêineres — Foto: Gino Lima/Arquivo pessoal

 

Bioconstrução

Para cada projeto de bioconstrução deve-se levar em conta o clima da região, o que pode contribuir para as construções e métodos escolhidos. A primeira etapa de um projeto de bioconstrução é buscar quais são os materiais disponíveis na região e de que forma eles podem ser aproveitados.

 
Casa ecossustentável pode ser mais barata — Foto: Gino Lima/Arquivo pessoal

 

Existem várias técnicas utilizadas para a construção de imóveis sustentáveis, e cada uma utiliza materiais com baixo impacto ambiental. Como Superadobe, que usa os saco de ráfia, arame farpado, terra local. O Adobe, utiliza-se a areia, argila e palha, com madeira e pregos para a forma. O Cob, que usa argila, areia e palha.

Também tem a técnica com Taipa de pilão com terra, madeira e prego. O Solo-cimento, que é com argila, cimento e água. O Ferrocimento que utiliza a malha de vergalhões finos, malha de tela de galinheiro hexagonal, fio de arame recozido, cimento, areia e água. Os contêineres podem ser reciclados com esse intuito ecológico.

A ecovila é um conjunto de bioconstruções em ambientes urbanos e rurais, onde todas as residências são ecossustentáveis. Desde a estrutura até a rede de esgoto, o abastecimento de água, aproveitamento de resíduos, utilização de luz natural, entre outros processos que visam diminuir a degradação do meio ambiente.

 
Métodos são desenvolvidos com a prática do zero desperdício de materiais — Foto: Gino Lima/Arquivo pessoal

 

Fonte: https://g1.globo.com