Concreto autoadensável no Cidade Matarazzo

 A região central de São Paulo está recebendo uma das obras de mais destaque no país atualmente: o badalado Cidade Matarazzo. O empreendimento se trata de um retrofit: onde antes havia o Hospital Matarazzo, agora está sendo construído o complexo Cidade Matarazzo, que se tornará um hotel de alto padrão/luxo de 6 estrelas e dará vida ao patrimônio tombado que habita ali, como a Capela Santa Luzia.

“A obra principal do Hospital Matarazzo é uma edificação de 1904. Já a capela, de 1922, ou seja, são edificações muito antigas”

A complexidade desta obra ultrapassou os aspectos construtivos. No primeiro momento, o desafio foi a realização do grande investimento para comprar o terreno e, posteriormente, lidar com as burocracias para a preservação dos patrimônios tombados. No entanto, o Group Allard – responsável pela obra – conseguiu dispor dos recursos necessários para essa construção e, de quebra, projetar uma obra de alto luxo, que cuidou de cada um dos detalhes e trouxe a participação de profissionais de reconhecimento internacional, como o arquiteto vencedor do Pritzker, Jean Nouvel, responsável pelo desenho da torre e pelo direcionamento da coloração do concreto aparente na obra.

DESAFIOS:
FORMULAÇÃO DO CONCRETO

Os cuidados com a preservação das estruturas dos patrimônios tombados, como a Capela Santa Luzia, exigiram estudos significativos para a realização da concretagem – além de se considerar os vizinhos do terreno. Para responder essa necessidade de segurança e também superioridade do acabamento, o grupo responsável pela obra decidiu utilizar concreto autoadensável em toda a sua estrutura.

O concreto autoadensável tem como característica principal a sua fluidez, que permite o preenchimento das formas sem a utilização de vibradores – o que diminui os ruídos e auxilia na preservação das estruturas vizinhas.

Além disso, seu acabamento é mais liso, o que o torna perfeito para a sua aplicação como concreto aparente.

“A Torre Mata Atlântica [uma das torres hoteleiras do empreendimento] tem dezenas de faces onde o concreto é aparente. O concreto autoadensável atua de forma importante para resolver essa situação”, ressalta João Francisco Cavalcanti, engenheiro operacional da obra Cidade Matarazzo.

A coloração específica do concreto aplicado foi determinada pelo arquiteto francês Jean Nouvel. Foram feitos estudos dentro da central da Engemix, em Jaguaré, e estudos na própria obra também para que a cor do concreto ficasse realmente conforme projetado pelo arquiteto. Na prática, também foram estudados diversos traços para atender a resistência necessária, que chegou a 60 Mpa – o que torna este tipo de concreto de alto desempenho (CAD) – e as condições de fluidez. “Se tornou um concreto colorido, autoadensável e de alta resistência, que trabalha com várias adições”, complementa Maurecir Almeida.

O representante da Votorantim Cimentos destaca também a preocupação com a sustentabilidade. “Com o concreto autoadensável se ganha produtividade. Tendo produtividade, o caminhão-betoneira fica menos tempo na obra, ou seja, emite menos CO²”, complementa.

 

DESAFIOS: LOGÍSTICA EM CANTEIRO DE OBRAS

Depois de resolver as questões voltadas à formulação do concreto, a logística também foi desafiadora. De acordo com o engenheiro operacional da obra, a Torre Mata Atlântica tem cerca de 32 pavimentos e as lajes abaixo do térreo (-3 até -8), são lajes enormes, com cerca de 3.500 m², que exigiram concretagens de 600 a 700 m³.

“Isso significa, algumas vezes, 20 caminhões-betoneiras encostados na frente da obra ao mesmo tempo”, conta João Francisco Cavalcanti.

Além disto, a obra está localizada em uma área chamada Zona Máxima de Restrição, que permite que o trabalho seja feito até às 16h, apenas. Esse foi um desafio: descarregar um grande volume de concreto e acabar o serviço até esse horário”, ressalta Maurecir. Para aumentar a produtividade neste processo, a obra está utilizando mastro de concretagem e spiders.

 

QUER ACOMPANHAR UM DIA DE CONCRETAGEM NO CIDADE MATARAZZO?

ASSISTA AGORA!