Aparelhos e dispositivos que devem moldar as casas inteligentes do futuro

As últimas novidades do mercado de utensílios domésticos, aliadas aos assistentes de voz, trazem spoilers de como viveremos em nossas casas no futuro

casas inteligentesFoto Pixabay

A chegada da assistente virtual Alexa e do Google Home no Brasil foram os primeiros passos para tornar nossas casas mais inteligentes e conectadas.

Já dá pra perceber que as casas do futuro serão um pouco diferentes das que temos hoje, pois a Internet 5G a Internet das Coisas (IoT) vão abrir portas para muitas novas opções – que, por enquanto, podemos apenas especular.

Para se ter ideia muitas funções domésticas já podem ser integradas a partir de serviços de nuvem, que possibilitam que objetos possam ser controlados à distância.

De acordo com a Techcrunch, em 2018 cerca 40 milhões de americanos já possuíam ao menos um tipo de alto-falante inteligente em suas casas. Este número, agora, chegou a 66,4 milhões, o que corresponde a mais de um quarto da população. A estimativa é que existam até 8 bilhões de assistentes de voz digital em uso até 2023.

Spoilers do futuro

Ninguém pode prever o futuro com 100% de precisão, mas já é possível ter uma boa ideia de como serão as casas futuristas através dos produtos que estão disponíveis em suas versões iniciais.

Muitos deles ainda estão passando por aperfeiçoamentos, ou ainda carecem de algumas funcionalidades, e devem mudar de cara até se tornarem populares – mas já dão spoilers de como vamos poder viver nas próximas décadas.

Compra de imóveis e decoração

Nos próximos anos, será muito mais fácil projetar os espaços de vida. Aplicativos e sites de decoração já estão abusando da realidade virtual e aumentada para ajudar os clientes a visualizarem a aparência de móveis e objetos em casa antes de efetuarem uma compra.

Para isso, os aplicativos estão utilizando a mesma tecnologia do game Pokémon Go, que exibe os monstrinhos no ambiente ao redor do usuário pela câmera do celular.

Casas inteligentes

Foto Unsplash

Também é provável que a tecnologia inteligente mude o processo de vendas de imóveis. Alguns corretores já começaram a usar inovações para vender casas, implementando tecnologias como sinalizadores fora dos imóveis. Quando um potencial comprador passa por uma casa com essa tecnologia, ele recebe uma mensagem que os conectará, além de receber informações extras sobre o local, incluindo uma possibilidade de tour virtual.

Delivery robótico

As compras online vão extinguir a necessidade de compradores irem até o portão para receber encomendas, que passarão a ser feitas por drones e robôs. A Amazon já está desenvolvendo este tipo de serviço, e algumas entregas do seu robô Scout já foram feitas com sucesso no sul da Califórnia.

Os drones da FedEx, também, já estão realizando entregas aéreas em locais remotos ou de acesso perigoso para entregadores humanos.

Casas inteligentes

Foto Unsplash

Economia de energia

As pessoas precisam poupar dinheiro, e o planeta precisa que poupemos recursos. Por isso, os dispositivos que ajudam a economizar todo tipo de recurso deverão estar entre os mais populares no futuro.

Já existem termostatos conectados que permitem o monitoramento e gestão completa de todos os usos de energia da casa, de modo remoto, permitindo que gastos excessivos e vazamentos sejam detectados, além de poder ligar e desligar luzes e aparelhos à distância.

Cozinhas inteligentes

Refrigeradores inteligentes estão surgindo para fazer muito mais do que manter as comidas conservadas e as cervejas geladinhas: já é possível sincronizar dados da geladeira com smartphones, que avisará quando produtos estiverem chegando perto da data de validade, ou quando determinado produto faltar ou chegar no final.

As geladeiras inteligentes também possuem sistemas de câmera que mostram o conteúdo interior diretamente na tela do celular, eliminando a necessidade de abrir e gastar energia apenas para checar o que tem lá dentro.

Queimar a comida enquanto cozinha será, também, muito mais difícil. As panelas e frigideiras inteligentes têm um sistema de termostato que permite configurar uma temperatura máxima específica, impedindo que o alimento passe do ponto.

Assim como as geladeiras, os fornos também estão recebendo câmeras internas que enviam imagens diretamente a aplicativos de celular, permitindo que o cozinheiro observe imagens do cozimento em tempo real.

Foto Unsplash

Sonecas de qualidade

Os quartos do futuro parecem estar bastante focados na qualidade do sono das pessoas. Enquanto os aplicativos de monitoramento do sono já se tornaram mainstream, empresas trabalham em camas e colchões conectados. Eles se ajustam automaticamente de acordo com padrões sono (por exemplo, levantam a cabeceira da cama quando o usuário ronca), além de fornecerem outros recursos, como notificação instantânea quando uma criança levanta e sai da cama, ou regulagem de temperatura e despertadores baseados em níveis de profundidade do sono.

Para quem gosta de aromaterapia, também existem despertadores inteligentes que detectam quando o usuário atinge o ponto mais leve do seu ciclo de sono, e liberam um aroma de despertar personalizado pela própria pessoa.

Spa doméstico

A aromaterapia estará presente, também, nos banheiros, levando às casas um ambiente mais parecido com os dos spas. Banheiras de alta tecnologia induzem ondas cerebrais de baixa frequência e permitem programar e controlar aromas pelo celular.

A catalogação de produtos existente nas geladeiras inteligentes também é aplicável a móveis de banheiro, ajudando a manter estoques de produtos e remédios sempre em dia e dentro dos prazos de validade.

Fonte: https://www.consumidormoderno.com.br/

Por: