Caixa lança crédito imobiliário prefixado dia 20 em cerimônia com Bolsonaro

Presidente já havia afirmado que taxa prefixada deverá ser menor que 10% ao ano

Foto: Agência Brasil/EBC

A Caixa fará na próxima semana o lançamento do crédito imobiliário com taxas prefixadas, que devem começar com valores abaixo de 10% ao ano. A cerimônia, com participação do presidente Jair Bolsonaro, está marcada para quinta-feira, dia 20, no Palácio do Planalto.

O financiamento prefixado representa um novo passo na estratégia do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, de depender menos do funding da poupança. O objetivo é originar operações nessa modalidade e securitizá-las para venda da carteira no mercado.

Na nova linha, as taxas serão um pouco superiores às do crédito corrigido pela TR para que o banco possa cobrir o risco da operação, disse Guimarães em entrevista ao Valor no fim de janeiro. Na Caixa, o financiamento atrelado à TR (hoje, zerada) começa com um adicional de 6,5% ao ano.

Em contrapartida, o tomador de uma linha prefixada ficará com uma taxa travada por toda a vigência do financiamento, que pode se estender por 30 anos, independentemente das oscilações inflacionárias e da Selic no período.

O banco não prevê colocar cláusulas de repactuação periódica da taxa de juros, apurou o Valor. Essa revisão é praxe em outros países, mas a preferência da Caixa é embutir um prêmio de risco na taxa desde o início da operação, conforme fonte a par do assunto.

Guimarães tem defendido a adoção de novos modelos no crédito imobiliário porque o funding da poupança é escasso e tem riscos. Os principais, segundo ele, são o descasamento de prazos entre a captação e a duração dos contratos de crédito e a inexistência de hedge para ativos baseados na TR, o que dificulta a securitização dessas carteiras.

A Caixa já fez um primeiro movimento para diversificar suas fontes de recursos no crédito imobiliário em agosto do ano passado, quando lançou as linhas imobiliárias corrigidas pelo IPCA. A modalidade representa atualmente cerca de 30% da originação de crédito habitacional do banco (excluídas da conta as operações que têm funding no FGTS).

A diferença é que as linhas corrigidas pela inflação são mais baratas — começam em IPCA mais 2,95% ao ano —, só que o risco de oscilação de preços fica com o cliente.

Por isso, as modalidades atreladas à TR, ao IPCA e prefixadas vão coexistir na oferta da Caixa, embora o banco prefira as duas últimas. A ideia é que o tomador do crédito possa escolher levando em conta o tamanho da parcela e o prazo de pagamento.

(Este conteúdo foi publicado originalmente no Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor Econômico)

Fonte: https://valorinveste.globo.com/