Momento é propício para compra de imóveis, apontam especialistas

Setor de leilão online de casas, apartamentos e terrenos vê expansão; números apontam crescimento da prática como investimento.

A recomendação de isolamento levou a uma diminuição nos gastos dos consumidores e, como consequência, provocou uma reflexão sobre os hábitos de consumo. Relatório da WGSN, especialista em previsão de tendências de comportamento, aponta que, em meio à incerteza, consumidores passaram a ser cautelosos e a analisar mais cuidadosamente o quê e como consumir. Nesse contexto, muitos consumidores estão reconsiderando seus valores e passaram a buscar empresas e marcas que os façam sentir-se mais seguros. Os consumidores querem produtos que reflitam seus valores pessoais mesmo após o período de isolamento. Embora essa tendência já fosse crescente, o novo cenário global acelera essa busca.

Mas em toda crise, há oportunidades. O crescimento das vendas online, por exemplo, além de impulsionar um crescimento nas compras por aplicativos, fez com que empresas como Americanas, Carrefour, Fastshop e Casas Bahia – disponíveis na MyCashBack, plataforma de cashback com mais de 300 sites cadastrados – registrassem um aumento significativo nas vendas através da internet, nos últimos dias.

Outro exemplo mais concreto é o investimento em imóveis em tempos de pandemia. Com a bolsa instável, a tendência é de movimentação de recursos alocados em fundos e ações para alguns investimentos imobiliários, que trazem maior segurança e estabilidade, além de garantir boa rentabilidade. A recuperação do mercado imobiliário após a recessão que afetou os preços de apartamentos e casas no país está atraindo os investidores de volta a esse mercado, dizem profissionais do setor.

Consultores especializados reiteram que a recuperação dos preços dos imóveis após a recessão que afetou os preços dos imóveis está atraindo os investidores de volta a esse mercado. No ano passado, as vendas tiveram forte alta de 49,5%, para 44,7 mil unidades, em São Paulo, maior centro urbano do país. No período, foram lançadas 55,5 mil unidades, com aumento de 49,6%, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) divulgados pelo Secovi-SP.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), grande parte da população se concentra em grandes e médias cidades – onde se encontram as maiores oportunidades de emprego e renda –, e é nessas regiões em que o mercado imobiliário torna-se cada vez mais atraente, principalmente nas capitais e nos grandes centros.

E quando olhamos para os dois exemplos, compra de imóveis e vendas online podem ser complementares. Hoje, é cada vez mais comum arrematar produtos em sites de leilões. Especialistas apontam, inclusive, que leilão de imóveis é um bom investimento, com retorno financeiro muito maior do que as outras aplicações e risco muito baixo. Além disso, jornais como O Globo, O Estado de São Paulo e Valor Econômico têm seções semanais ensinando tudo sobre leilões e informando as oportunidades de arremate disponíveis.

Quer investir em imóveis? Veja quatro dicas importantes para não errar

Terrenos: O investimento em terrenos próximos às regiões centrais das capitais é uma aplicação segura e altamente lucrativa em médio prazo, graças ao crescimento horizontal das áreas urbanas. Estima-se que a Taxa Interna de Retorno (TIR) dos terrenos gira em torno de 41% ao ano, enquanto a poupança não costuma ultrapassar os 7% a.a., e o CDB paga em média 10% a.a. Estude o plano diretor e conheça as perspectivas de crescimento da região onde se encontra o terreno que deseja adquirir.

Imóveis na planta: O rendimento para imóveis que ainda não foram construídos gira entre 20% e 30% logo nos primeiros dois anos após o início das obras.

Imóveis prontos. Recauchutar e repassar. Essa é a forma mais comum de investimento em casas já prontas. A revenda após a reforma é comumente realizada com grande margem de lucro. Se comprados para locação, é preciso estudar a dinâmica da cidade e do bairro e o perfil dos moradores da região – por exemplo, em um bairro tipicamente universitário, não vale a pena investir em imóveis grandes e luxuosos, dê preferência a flats e apartamentos pequenos.

Leilões online. O aquecimento do mercado de leilões online na última década trouxe uma nova perspectiva para quem aposta nesse setor, em especial para compradores de imóveis. Faça uma busca rápida pelo nome do site e verifique se há reportagens sobre o tema ou mesmo menções no Reclame Aqui. Totalmente gratuito, o site ainda abre espaço para que as próprias empresas possam retornar os clientes com um posicionamento.

Por agência digital emarket

Fonteagência digital emarket